Políticas de Inclusão e a realidade profissional: a experiência de uma graduanda cega no Estágio Curricular Supervisionado

kalina Salaib Springer, Sabrina Mangrich de Assunção, Yanna D'Angelis de Carvalho Gonçalves

Resumo


Neste texto, abordaremos aspectos relacionados às políticas de inclusão de pessoas com deficiência e seus desdobramentos no que tange à inserção deste indivíduo no mercado de trabalho. Para tanto, relataremos a experiência de uma graduanda cega, em seu estágio curricular obrigatório no curso de Licenciatura Plena da Universidade Federal de Santa Catarina. Percebeu-se, que, mesmo com toda a política de inclusão já existente, a escola e os alunos, não estão preparados para receber um docente cego1. A inclusão envolve a adequação das escolas e da sociedade para receber essas pessoas, de modo a promover a cidadania, como pessoas possuidoras dos mesmos direitos, dentre eles o direito de estudar e trabalhar. 


Palavras-chave


Inclusão. Política educacional. Realidade profissional.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/cpg.v17n2.7667

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Cadernos de Pós-graduação
ISSN da versão online: 2525-3514
www.cadernosdepos.org.br