Representações do trabalho na creche por Professores e Agentes de Educação Infantil: Um campo de tensões

Raquel Garcia Braga de Lima, Rita de Cássia Pereira Lima

Resumo


Objetivo do estudo é investigar representações de agentes e de professores/as de Educação Infantil do Rio de Janeiro sobre o trabalho que realizam, buscando aproximações entre a Teoria das Representações Sociais e a abordagem (auto)biográfica. A pesquisa foi realizada com duas agentes e duas professoras.  Para coleta de dados optou-se pela entrevista/conversa com ênfase na indução de metáforas, que se constituiu em relevante instrumento para a formação de um esquema representacional sobre o trabalho na creche. As entrevistas/conversas foram analisadas com apoio da análise de conteúdo. Os resultados mostraram que, entre as agentes, há reivindicação de que exercem o mesmo trabalho que professoras. As professoras reforçam a intencionalidade pedagógica do trabalho, mencionando o desenvolvimento infantil, o que não caracteriza o trabalho das agentes, provocando tensões entre os grupos.  As entrevistas revelaram que as experiências de vida dos sujeitos são fundamentais para a compreensão das representações que elaboram sobre seu trabalho.

Palavras-chave


Agentes. Creche. Professores. Representações. Trabalho.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES-MAZZOTTI, A. Histórias de vida de professores, formação e representações sociais: uma proposta de articulação. Revista de Educação Pública. Cuiabá. v. 24, n. 55, p. 81-101, jan./abr. 2015 Disponível em: http://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/educacaopublica/article/view/2089 Acesso em: 9 ago. 2018.

ANDRADE, D. B. da S. F. (2006). O lugar feminino na escola: um estudo em representações sociais. Tese de doutorado, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, Brasil.

ARIÈS, P. História Social da Criança e da Família. Tradução: Dora Flaksman. Rio de Janeiro: Guanabara, 1981.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. Trad. Luís Antero Reto e Augusto Pinheiro. Lisboa: Edições 70 LDA, 2016.

BRAGANÇA, I. F. de S.; LIMA, R. de C. P. Narrativas de vida de instrutores da educação profissional como possibilidade de estudos no campo das representações sociais. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Brasília, v. 97, n. 246, p. 290-304, maio/ago. 2016. Disponível em: http://rbep.inep.gov.br/index.php/rbep/article/view/2616/pdf. Acesso em: 26 maio 2018.

¬¬

BRASIL. Ministério da Educação. Diretrizes da Educação Infantil. Brasília: Secretaria de Educação Básica, 2009. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=9769-diretrizescurriculares-2012&category_slug=janeiro-2012-pdf&Itemid=30192 Acesso em: 13 set. 2017.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil: promulgada em 5 de outubro de 1998: atualizada até a Emenda Constitucional nº 20, de 15-12-1998. 21ªed. São Paulo: Saraiva, 1999.

BRASIL. Congresso Nacional. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei n. 9.394/96, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Base da Educação Nacional. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 20 de dezembro de 1996.

DESCHAMPS, J. C.; MOLINER, P. A identidade em psicologia social: dos processos identitários às representações sociais. Tradução de Lúcia M. Endlich Orth. Petrópolis: Vozes, 2009.

JOVCHELOVICH S; BAUER M. W. Entrevista Narrativa. In: BAUER M. W, GASKELL G. Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. Petrópolis: Vozes; 2002, p. 90-113.

KRAMER, S. A política do pré-escolar no Brasil: A arte do disfarce. 9. ed. Rio de Janeiro: Cortez, 2011.

KUHLMANN JR. M. Infância e educação infantil: uma abordagem histórica. Porto Alegre: Mediações, 2001.

KUHLMANN JR. Investigando os núcleos figurativos como metáforas. I Jornada Internacional sobre Representações Sociais. CD-ROM. Natal-RN, 1998, p. 1-12.

LIMA, R. C. P.; BRAGANÇA, I.F.S. Representações sociais, narrativas de vida, experiências: um estudo com instrutores de cursos de formação inicial ou continuada (FIC). In: BRAGANÇA, I. F. S.; NAKAYAMA B. C. M. S.; TINTI, D. S. (org.). Narrativas, formação e trabalho docente. Curitiba: CRV, 2018, p. 233-248.

MOSCOVICI, S. A psicanálise, sua imagem, seu público. Petrópolis: Vozes, 2012.

MOSCOVICI. A história e a atualidade das representações sócias. In: S. MOSCOVICI. Representações sociais: investigações em Psicologia Social. Petrópolis: Vozes. P. 167-214, 2003.

RIO DE JANEIRO (RJ), Câmara Municipal. Decreto-lei nº. 20525, de 14 de setembro de 2001. Transfere o atendimento de Educação Infantil da Secretaria de Desenvolvimento Social para a Secretaria Municipal de Educação, Diário Oficial do Município do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 17 de setembro de 2001.

RIO DE JANEIRO. Secretaria Municipal de Educação. Resolução nº 816, de 05 de janeiro de 2004. Normatiza o Funcionamento das Creches Públicas do Sistema Municipal de Ensino e dá outras providências. Rio de Janeiro, 05 de janeiro de 2004.

RIO DE JANEIRO. Lei n.º 3.985, de 8 de abril de 2005. Cria no Quadro Permanente do Poder Executivo do Município do Rio de Janeiro a categoria funcional de Agente Auxiliar de Creche e dá outras providências. Diário Oficial do Município do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 12 de abril de 2005.

RIO DE JANEIRO. Lei nº 5.217, de 01 de setembro de 2010. Cria no Quadro Permanente do Poder Executivo do Município do Rio de Janeiro a categoria funcional de Professor de Educação Infantil, acresce o quantitativo de cargos de Agente Auxiliar de Creche e dá outras providências. Diário Oficial do Município do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 02 de setembro de 2010.

RIO DE JANEIRO. Secretaria Municipal de Educação. Orientações Curriculares para a Educação Infantil. Rio de Janeiro: Gerência de Educação Infantil, 2010.

SÁ, C. P. de. Estudo 9: Representações sociais: o fenômeno, o conceito e a teoria geral. In: Estudos de Psicologia Social. Rio de Janeiro: EdUERJ, p. 183-208, 2015.




DOI: https://doi.org/10.5585/dialogia.N31.11346

Direitos autorais 2019 Dialogia

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Dialogia

ISSN da versão online: 1983-9294
ISSN da versão impressa: 1677-1303
www.revistadialogia.org.br