Possibilidades estético-pedagógicas por meio do Fanzine e do Cordel

Ana Cristina Moraes, Andrea Sales Braga Moura

Resumo


Reflete-se sobre ações pedagógicas fomentadoras de educação estética na sala de aula com esteio na cultura popular materializadas no Cordel e no Fanzine, analisando como se configuram estas ações estando aliadas a processos educativos. A escolha da temática se deve ao desenvolvimento de pesquisas, bem como às intervenções pedagógicas na formação docente universitária e na educação escolar de crianças. A investigação é de natureza qualitativa, tomando-se observação, análise de práticas e depoimentos de docentes, bem como produção de dados em oficinas artístico-pedagógicas como caminho metodológico. Com base nas análises, infere-se que os educadores consideram de muita relevância o trabalho com Cordel e Fanzine em sala de aula, por envolver os estudantes na constituição de saberes. Há um chamamento à aprendizagem pela dimensão criativa que essas elaborações possuem.


Palavras-chave


Ações estético-pedagógicas. Cordel. Fanzine.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRAUS, Gazy; SANTOS NETO, Elydio dos. Dos zines aos biograficzines: compartilhar narrativas de vida e formação com imagens, criatividade e autoria. In: MUNIZ, Cellina Rodrigues. Fanzines: autoria, subjetividade e invenção de si. Fortaleza: Edições UFC, 2010.

BARBOSA, Ana Mae (org.) Inquietações e mudanças no ensino da arte. São Paulo: Cortez, 2003.

BARBOSA, Ana Mae (org.). Arte-educação: leitura no subsolo. São Paulo: Cortez, 2008.

BRASIL. MEC. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (Lei Nº 9.394/96). Brasília – DF: MEC, 1996.

BRASIL. Resolução do Conselho Nacional de Educação/CP. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação em Nível Superior (cursos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados e cursos de segunda graduação) e Para a Formação Continuada, 2015.

BRASIL. Resolução do Conselho Nacional de Educação /CP. Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Graduação em Pedagogia, 2006.

BRASIL. Ministério da Educação. Parâmetros Curriculares Nacionais: Arte. Secretaria de educação fundamental. Rio de Janeiro: DP&A, 2000.

DUARTE JUNIOR, João Francisco. Por que arte-educação? 22. Ed. Campinas-SP: Papirus, 2011.

DUARTE JUNIOR, João Francisco. A montanha e o videogame: escritos sobre educação. Campinas – SP: Papirus, 2010.

DUARTE JUNIOR, João Francisco. O sentido dos sentidos: a educação (do) sensível. Tese de Doutorado. UNICAMP: Campinas-SP (mimeo), 2000.

DUARTE JUNIOR, João Francisco. Fundamentos estéticos da educação. 4. Ed. Campinas-SP: Papirus, 1995.

GUIMARÃES, Edgar. Fanzines. 3 ed. João Pessoa: Marca de Fantasia, 2005.

LIMA, Tiago Régis de; MIRANDA, Luciana Lobo. Subjetividades de papel. In: MUNIZ, Cellina Rodrigues. Fanzines: autoria, subjetividade e invenção de si. Fortaleza: Edições UFC, 2010.

MAGALHÃES, Henrique. A nova onda dos fanzines. João Pessoa: Marca da fantasia, 2004.

MARANHÃO, Renata Queiroz. Fanzines nas escolas: convite à experimentação. Fortaleza: EdUece, 2012.

MORAES, Ana Cristina. Educação Estética na Universidade: antropofagias e repertórios artístico-culturais de estudantes. Curitiba/Fortaleza: CRV/EDUECE, 2016.

MORAES, Ana Cristina. Educação Estética e Cultura Numa Peleja Medonha Com Descasos de Governantes. (Folheto de Cordel). Fortaleza: LiterAto/ EdBar, 2015.

MORAES, Ana Cristina. (et al). Culturas Juvenis e Redes Sociais (I) / Arte-educação e Seus Encantos (II). (Folheto de Cordel). Fortaleza: LiterAto/ EdBar, 2016.

MEIRELES, Fernanda. Zines em Fortaleza (1996-2009). In: MUNIZ, Cellina Rodrigues. Fanzines: autoria, subjetividade e invenção de si. Fortaleza: Edições UFC, 2010. p. 98-120.

MOURA, Andréa Sales Braga; THERRIEN, Jacques; FARIAS, Naisis Castelo Branco Andrade. Trabalhando o significado da água através do fanzine. In:, IV Seminários de práticas educativas, memórias e oralidades – IV SEPEMO, 4., 2017, Fortaleza. Anais do IV SEPEMO Fortaleza: EdUECE, 2017. p.577-583.

NASCIMENTO, Melissa Eloá Silveira. Pedagozinando em sala de aula: artes de dizer e pedagogia de fazer. 2010. 99 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 2010.

OLIVEIRA, Antônio Carlos de. Os fanzines contam uma história sobre punks. 2. Ed. Rio de Janeiro: Rizoma, 2015.

PLATÃO. A República. São Paulo: Martin Claret, 2001.

READ, Herbert. A educação pela arte. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

SCHILLER, Friedrich. A Educação estética do homem. São Paulo: EPU, 2011.

SCHILLER, Friedrich. Cultura estética e liberdade. São Paulo: Hedra, 2009.

SILVA, Maria Aparecida Alves. Fanzines narrativos: um olhar sobre as identidades profissionais de professores de uma escola pública. 2017. 148 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de São Carlos. Sorocaba, 2017.

SUASSUNA, Ariano. Almanaque Armorial. 2. ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 2008.

SUASSUNA, Ariano. Iniciação à Estética. 4. edição. Recife: Editora Universitária da UFPE, 1996.

VIANA, Arievaldo. Acorda cordel na sala de aula: a literatura popular como ferramenta

auxiliar na educação. 2. ed. Fortaleza: Gráfica Encaixe, 2010.




DOI: https://doi.org/10.5585/dialogia.N31.11436

Direitos autorais 2019 Dialogia

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Dialogia

ISSN da versão online: 1983-9294
ISSN da versão impressa: 1677-1303
www.revistadialogia.org.br