Subjetividade docente e diálogos com a infância: encontros, escutas e educação

Diego Barrios Díaz, Maria Carmen Tacca

Resumo


O objetivo deste artigo é discutir, a partir de um estudo de caso, os processos subjetivos que configuram a formação e a prática docente na educação infantil. Adotamos a perspectiva teórica da subjetividade, de González Rey, como recurso que possibilita pensar as motivações e posicionamentos do professor diante de sua prática e formação docente. O estudo de caso se desenvolve nos limites da metodologia construtiva e interpretativa de González Rey. Evidenciamos processos sociais que ocorrem no contexto escolar e o transformam em um terreno fértil e aberto a possibilidades de aprendizagem para professores no curso das relações sociais vividas nesse espaço. 


Palavras-chave


Educação Infantil. Subjetividade docente. Infância e escola.

Texto completo:

PDF

Referências


CAMPOLINA, Luciana de O. Aprendizagem, subjetividade e interações sociais na escola. In: MARTINEZ, Albertina M.; ALVAREZ, Patrícia (org.). O sujeito que aprende: diálogos entre a psicanálise e o enfoque histórico-cultural. Brasília: Liber Livro, 2014. p. 179-208.

GONZÁLEZ REY, Fernando. Pesquisa Qualitativa em Psicologia: caminhos e desafios. São Paulo: Thomson Learning, 2002.

GONZÁLEZ REY, Fernando. O Sujeito, a Subjetividade e o Outro na Dialética Complexa do Desenvolvimento Humano. In: MARTINEZ, Albertina M. M.; SIMAO, Lívia M. (org.). O Outro no Desenvolvimento Humano: diálogos para a pesquisa e prática profissional em psicologia. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2004.

GONZÁLEZ REY, Fernando. Pesquisa Qualitativa e subjetividade: os processos de construção da informação. 1ª reimpressão da 1ª edição de 2005. São Paulo: Thomson Learning, 2005.

GONZÁLEZ REY, Fernando. O sujeito que aprende: desafios do desenvolvimento do tema da aprendizagem na psicologia e na prática pedagógica. In: TACCA, Maria Carmen V. R. (org.). Aprendizagem e trabalho pedagógico. 2. ed. Campinas: Átomo e Alínea, 2008.

GONZÁLEZ REY, Fernando. A Configuração Subjetiva dos Processos Psíquicos: Avançando na compreensão da aprendizagem como produção subjetiva. In: MARTÍNEZ, Albertina M. M.; SCOZ, Beatriz J. L.; CASTANHO, Marisa I. S. (org.). Ensino e aprendizagem: a subjetividade em foco. Brasília: Editora Liber Livros, 2012.

LARROSA, Jorge. Pedagogia profana: danças, piruetas e mascaradas. Belo Horizonte/MG: Autêntica, 2010.

MADEIRA COELHO, Cristina M. Formação docente e sentidos da docência: O sujeito que ensina, aprende. In: MARTÍNEZ, Albertina M. M.; SCOZ, Beatriz J. L.; CASTANHO, Marisa I. S. (org.). Ensino e aprendizagem: a subjetividade em foco. Brasília: Editora Liber Livros, 2012, p. 111-129.

SARMENTO, Manuel J.; PINTO, Manuel. As crianças e a infância: definindo conceitos, delimitando o campo. In: PINTO, Manuel; SARMENTO, Manual J. (coord.). As crianças: contextos e identidades. Braga: Universidade do Minho, 1997.

TACCA, Maria Carmen V. R. Relação Pedagógica e Desenvolvimento da Subjetividade. In: GONZÁLEZ REY, Fernando (org.). Subjetividade, complexidade e pesquisa em Psicologia. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2005.




DOI: https://doi.org/10.5585/dialogia.N31.11453

Direitos autorais 2019 Dialogia

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Dialogia

ISSN da versão online: 1983-9294
ISSN da versão impressa: 1677-1303
www.revistadialogia.org.br