A Ciranda Infantil e as crianças Sem Terrinha: educação e vida em movimento

Luís Henrique dos Santos Barcellos, Julio Cesar Torres

Resumo


Este artigo tem como objetivo apresentar e discutir alguns aspectos da Educação Infantil do MST. O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra é o principal movimento brasileiro de luta e resistência pela terra, e para defender suas bandeiras, elege como um dos fatores principais o desenvolvimento de uma educação emancipadora, que congregue trabalho e educação geridos por meio de relações e ações democráticas.  Utilizando como metodologia a pesquisa de natureza bibliográfica e a análise documental, investigou-se a proposta educacional do MST para a infância no contexto das Cirandas Infantis, buscando a compreensão da concepção de criança e de infância Sem Terrinha. O MST busca evidenciar a desigualdade social e o descaso e negligência com as reais necessidades da população camponesa. A criança nesse processo é inserida como sujeito participativo, desde o seu nascimento, nas lutas travadas contra o capital. Para além de um sujeito de direitos, ela é um sujeito de luta.


Palavras-chave


Educação do Campo. MST. Ciranda Infantil.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Estatuto da criança e do adolescente. Lei federal nº 8069, de 13 de julho de 1990.

CALDART, Roseli Salete. Pedagogia do Movimento Sem Terra. 4. ed.São Paulo: Expressão Popular, 2012.

CELLARD, A. A análise documental. In: POUPART, J. et al. A pesquisa qualitativa: enfoques epistemológicos e metodológicos. Petrópolis, Vozes, 2008.

DALMAZ, D. S. S.; SCARMOCIN, D. A ciranda infantil do movimento sem terra no Brasil: Formação política na Infância. In: I Seminário Internacional e I Fórum de Educação do Campo da Região Sul do RS: Campo e Cidade em busca de Caminhos Comuns. Pelotas, 2012.

DIDONET, Vital. Creche: a que veio... para onde vai. In: Educação Infantil: a creche, um bom começo. Em Aberto Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais. v. 18, n. 73, p.11-27. Brasília, 2001.

FREIRE, Paulo. "A educação é um ato político". Cadernos de Ciência, Brasília, n. 24, p.21-22, jul./ago./set. 1991. Disponível em: Acesso em: 06 jun. 2018.

MARINHO, Gustavo. “Queremos que todas as crianças possam ser felizes e livres”, afirma Manifesto das Crianças Sem Terrinha. 2018. Disponível em: . Acesso em: 24 jul. 2018.

PALUDETO, M. C..As diretrizes programáticas e a política educacional do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST). Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Estadual Paulista (Unesp), Faculdade de Filosofia e Ciências, Marília. 128 f. 2018.

PELOSO, F. C. Educação Infantil do/no Campo: a ciranda infantil do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra como alternativa de atendimento à criança pequena. In: Seminário Nacional de Estudos e Pesquisas sobre Educação no Campo. São Carlos. v.2, p. 1-15, 2013. Disponível em: http://www.gepec.ufscar.br/publicacoes/publicacoes-seminarios-do-gepec/seminarios-de-2013/1-educacao-do-campo-movimentos-sociais-e-politicas-publicas/a24-educacao-infantil-do-campo.pdf/view. Acesso em: 05 abr. 2018.

RAMOS, Márcia Mara. Ciranda Infantil Paulo Freire educa para a luta. Jornal dos Trabalhadores Rurais Sem Terra. São Paulo, p. 15-15. volume 323. fev. 2014. Disponível em: . Acesso em: 23 abr. 2014.

SILVA, Maura. "Nossa educação ensina a criança a ser sujeita e construtora de sua história". 2017. Disponível em: . Acesso em: 01 out. 2014.




DOI: https://doi.org/10.5585/dialogia.N31.11458

Direitos autorais 2019 Dialogia

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Dialogia

ISSN da versão online: 1983-9294
ISSN da versão impressa: 1677-1303
www.revistadialogia.org.br