Revisão integrativa: letramentos do idoso e os círculos de cultura freireanos

Daniel Aguiar Pereira, Eliane Feitoza Oliveira, Meire Cachioni

Resumo


No contexto brasileiro, de modo geral, desde o início da década de 1980, as pesquisas sobre leitura e escrita têm se concentrado em situações de ensino e aprendizagem relacionadas a crianças e jovens em fase de escolarização. Apenas nos últimos anos, alguns pesquisadores brasileiros têm contemplado, por diferentes prismas teórico-metodológicos, questões de leitura e escrita relacionadas às práticas de letramento de idosos. Tendo em vista esse cenário, este artigo, de base bibliográfica, constitui-se a partir de uma revisão integrativa em bases de dados científicas. A busca se deu com os seguintes descritores e suas combinações na língua portuguesa e inglesa – “letramento + idoso” e “literacy + older people”, transitando entre os campos da Educação, da Linguística Aplicada e da Saúde. Objetiva traçar um panorama de como o letramento do idoso tem sido tratado em alguns artigos acadêmico-científicos, a fim de entendermos as diferentes correntes teórico-metodológicas que embasam estudos que tematizam as práticas escriturais da população idosa e como essas práticas impactam a vida deles. Nessa perspectiva apresentada, o letramento do idoso pode também ser compreendido e analisado a partir do escopo teórico-metodológico dos Novos Estudos do Letramento e a partir do que entendemos como um exemplar do modelo epistemológico de letramento: o Círculo de Cultura Freiriano. Dos dados levantados corrobora-se a necessidade de ampliar a compreensão sobre práticas de leitura e de escrita no contexto da Gerontologia, da Educação e da Linguística Aplicada, a fim de promover atividades que possibilitem ao idoso efetivar seus direitos básicos de cidadão.

Palavras-chave


Educação. Idoso. Letramentos.

Texto completo:

PDF

Referências


AMODEO, M. T.; MARIA NETTO, T.; FONSECA, R. P. Desenvolvimento de programas de estimulação cognitiva para adultos idosos: modalidades da Literatura e da Neuropsicologia. Letras de Hoje, Porto Alegre, v. 45, n. 3, p. 54-64, jul./set. 2010.

BARTON, D. Literacy: an introduction to the ecology of written language. London: Blackwell, 1994.

BARTON, D.; HAMILTON, M. Literacy Practices. In: BARTON, D; HAMILTON, M.; IVANIC, R. (Org.). Situated literacies: reading and writing in context. New York: Routledge, p. 7- 15, 2000.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. O que é método Paulo Freire. 13. ed. São Paulo: Brasiliense, 1987.

SOUZA FILHO, P. P. S. Condições de letramento no processo de envelhecimento: uma análise junto a idosos com mais de 65 anos [tese]. Curitiba: Universidade Tuiuti do Paraná, 2011.

SOUZA FILHO, P. P. S; MASSI, G. A. A.; RIBAS, A. Escolarização e seus efeitos no letramento de idosos acima de 65 anos. Rev. Bras. Geriatr. Gerontol., Rio de Janeiro, 2014; 17(3):589-600.

SOUZA FILHO, P. P.S; MASSI, G. A. A. Letramento de idosos brasileiros acima de 65 anos. Revista: Distúrb Comun, São Paulo, 26(2): 267-276, junho, 2014.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 17.ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

_________. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

_________. Educação e Mudança. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1981.

GADOTTI, M. Educação de jovens e adultos: correntes e tendências. In: GADOTTI, M.; ROMÃO, J. E. (Org.). Educação de jovens e adultos: teoria prática e proposta. 7.ed. São Paulo: Cortez, 2005.

GAMBURGO, L.J.L. & MONTEIRO, M.I.B. Envelhecimento e linguagem: algumas reflexões sobre aspectos cognitivos na velhice. Rev Kairós 2007.

______. Singularidades do envelhecimento: reflexões com base em conversas com idosos institucionalizados. Interface Comum Saúde Educ, vol.13, n.28, pp.31-41, 2009.

GEE, J. P. Social linguistics and literacies: ideology in Discourses. 2nd ed. London/ Philadelphia: The Farmer Press, 1996.

_________. Reading as situated language: a sociocognitive perspective. In: Journal of Adolescent & Adult Literacy. Newark, v. 8, n. 44, p. 714-725, 2001.

GOODY, J. (ed) Literacy in Traditional Societies. Cambridge University Press, 1968.

GREENFIELD, P. Oral or written language: the consequences for cognitive development in Africa, u.s. and England in language and speech, n. 15, 1972.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Projeção da População do Brasil por Sexo e Idade para o Período 2000-2060. 2013. Disponível em: https://ww2.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/projecao_da_populacao/2013/default.shtm. Acessado em: 17 jul. 2018.

HAVELOCK, E. Preface to Plato. Cambridge: Havard University Press, 1963.

HEATH, S. B. What no bedtime story means: narrative skills at home and school. In: Language in society, v. 1, n. 2, p. 46-79, 1982.

______. Ways with words. Cambridge: Cambridge University Press, 1983.

HILDYARD, A. OLSON, D. Literacy and the specialization of language. Manuscrito não publicado. Ontario Institute of Studies in Education, 1978.

KLEIMAN, A. (org.) Os significados do letramento: uma perspectiva sobre a pratica social da escrita. Campinas: SP: Mercado de Letras, 1995.

LANKSHEAR, C.; KNOBEL, M. Sampling the ‘new’ in new literacies studies. In Lankshear, C.; Knobel, M. A new literacies sampler. New York, Peter Lang, 2007. Disponível em: http://everydayliteracies.net/files/NewLiteraciesSampler_2007.pdf, Acesso: 18 jul. 2018.

LEA, M.R.; STREET, B. Student Writing in higher education: an academic literacies approach. Studies in Higher Education, London, v. 23, n. 2, p. 157-16, June, 1998.

LUDKE, M; ANDRÉ, M. Pesquisa em Educação: abordagens qualitativas. (Reimpressão). São Paulo: EPU, 2012.

MASSI, G. J. et al. Linguagem e envelhecimento: práticas de escrita autobiográfica junto a idosos. CEFAC, ; 17(6), 2065-2071, nov./dez. 2015.

MASSI, G. et al. Práticas de letramento no processo de envelhecimento. Rev. Bras. Geriatr. Gerontol., Rio de Janeiro, 2010; 13(1):59-71

OLIVEIRA, E. F. Letramento Acadêmico: concepções divergentes sobre o gênero resenha crítica. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada) - Universidade Estadual de Campinas, SP, 2011.

OLIVEIRA, E.F. Letramentos acadêmicos : o gerenciamento de vozes em resenhas e artigos científicos produzidos por alunos universitários. Tese (Doutorado em Linguística Aplicada) - Universidade Estadual de Campinas, SP, 2015.

OLIVEIRA, E.F. A vertente teórica dos letramentos acadêmicos no âmbito dos Novos Estudos do Letramento. Revista Educação e Linguagens, Campo Mourão, v. 6, n. 11, jul./dez. 2017.

OLIVEIRA, M. Jovens e adultos como sujeitos de conhecimento e aprendizagem. XXII Reunião Anual da ANPEd; Caxambu, 1999.

SAUL, A. M.; SILVA, A. F. G. O legado de Paulo Freire para as políticas de currículo e para a formação de educadores no Brasil. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, Brasília, v. 90, n.224, p. 223-244, jan./abr., 2009.

SCRIBNER, S.; COLE, M. The psychology of literacy. Cambridge: Harvard University, 1981.

SOUZA, Maria Antônia de. Educação de jovens e adultos. 2. ed. Curitiba: Ibpex, 2011.

SOUZA, Marcela Tavares de; SILVA, Michelly Dias da; CARVALHO, Rachel de. Revisão integrativa: o que é e como fazer. Einstein (São Paulo), São Paulo , v. 8, n. 1, p. 102-106, Mar. 2010.

STETLER C.B. et al. Utilization-focused integrative reviews in a nursing service. Appl Nurs Res. 1998;11(4):195-206.

STREET, B. V. Literacy in theory and practice. London: Cambridge University Press, 1984. (org.) Cross-Cultural Approaches to Literacy. Cambridge: Cambridge University Press, 1993.

______. Literacy in theory and practice. London: Cambridge University Press, 1984.

______. Social literacies: critical approaches to literacy development, ethnography, and education. London: Longman, 1995.

______. Abordagens alternativas ao letramento e desenvolvimento. Paper entregue após a Teleconferência UNESCO Brasil sobre letramento e diversidade, 2003.

______; LEFSTEIN, A. Literacy: an advanced resource book. London/New York: Routledge, 2007.

TERZI, S.B. Mudancas na concepcao de escrita de jovens e adultos em processo de letramento. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, Campinas, v. 5, n. 1, p. 181-207, 2005.

_______. A construção do currículo nos cursos de letramento de jovens e adultos não escolarizados, 2006. Disponivel em: http://www.cereja.org.br/arquivos/uploads/sylviaterzy.pdf. Acesso em: 08 mai. 2008.

TODARO, Mônica de Ávila; PEREIRA, Daniel de Aguiar. Paulo Freire e o corpo consciente. ANAIS... 37ª Reunião Nacional da ANPEd – 04 a 08 de outubro de 2015, UFSC – Florianópolis.

TORQUATO, R.; MASSI, G.; SANTANA, A. P. (2011). Envelhecimento e Letramento: A Leitura e a Escrita na Perspectiva de Pessoas com Mais de 60 Anos de Idade. Psicologia: Reflexão e Crítica, 24(1), 89-98, 2011.

WHITTEMORE R, KNAFL K. The integrative review: update methodology. J Adv Nurs:52(5):546-53, 2005.




DOI: https://doi.org/10.5585/eccos.n47.10313

Direitos autorais 2018 EccoS – Revista Científica



Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

EccoS – Revista Científica
ISSN da versão online: 1983-9278
ISSN da versão impressa: 1517-1949
www.revistaeccos.org.br