Industrialização da educação, edtech e prática docente

Octavio Ribeiro de Mendonça Neto, Almir Martins Vieira, Maria Thereza Pompa Antunes

Resumo


Este trabalho tem por objetivo propor uma reflexão sobre o processo de industrialização da educação nos tempos atuais, levando em conta a presença da educational technology (Edtech) como componente do cotidiano acadêmico-administrativo. Assumindo como elemento central a industrialização da educação, o texto se apresenta na forma de ensaio teórico, colocando em debate argumentos de pensadores que se posicionam a favor ou contra essa industrialização. A obra Industrialiser l’education: anthologie commentée (1913-2012), organizada por Pierre Moeglin (2016), assume papel central neste artigo. Primeiramente, são apresentados indicadores do processo de industrialização mencionado, além de princípios de cunho ideológico. O papel da Edtech também é tratado, inclusive com projeções e estimativas de abrangência em termos de valor de mercado, além do aspecto da educação a distância (EAD), cenário no qual a Edtech assume papel crucial. No tocante à pratica docente, esse processo de industrialização da educação exige das instituições de ensino modelos de gestão baseados na calculabilidade e na busca pela eficiência, introduzindo no ambiente educacional sistemas de informação que, ao mesmo tempo, facilitam atividades dos docentes, mas servem também para vigiar, adestrar (dressage), controlar e avaliar seu desempenho.

Palavras-chave


Edtech. Gestão da Educação. Industrialização da Educação. Prática Docente.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/eccos.n47.10702

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

EccoS – Revista Científica
ISSN da versão online: 1983-9278
ISSN da versão impressa: 1517-1949
www.revistaeccos.org.br