Apresentação do Dossiê Universidade, Ciência e Tecnologia e Mobilização do Conhecimento

Ivanise Monfredini, Judith Naidorf

Resumo


Universidade, instituição secular sobre a qual já se atribuíram diversos significados sociais, modelos de organização e atuação, abriga práticas diversas, base de sua renovação. Em que pesem a diversidade de significados e propostas para a universidade, prevalece um determinado consenso quanto à ideia de que cabe a essa instituição produzir conhecimento relevante, que contribua com o desenvolvimento do país e que beneficie a população. 

Na América Latina, a universidade tem se dedicado, especialmente, à formação profissional, constituindo-se ao longo dos séculos em espaço de ensino, mas também se tornou o principal locusde produção científica e tecnológica. Apesar disso, a partir das contrarreformas, a universidade latino-americana se converteu em alvo das críticas ‘neoliberais’ de que a ela caberia aprofundar ainda mais o compromisso com a produção científica, com base no que se institucionalizaram políticas de financiamento e avaliação que impuseram novos tempos e espaços para a pesquisa, a docência e a extensão. Diante do profundo processo de remodelação porque passaram (e passam) as universidades, a docência, por exemplo, parecia perder crescentemente espaço para o produtivismo científico vazio. 

No atual momento histórico, que é de aprofundamento das contrarreformas e de brutal desmonte do financiamento público, outras questões são suscitadas sobre a significação social dessa instituição. Em que pesem as críticas feitas no passado, a universidade latino-americana é responsável pela maior parte da produção científica e tecnológica dos países da região. Esse conjunto de conquistas históricas - universidade de ensino e de pesquisa - passa por sério processo de desmonte. 

Os autores que participam deste Dossiê se propõem a discutir a universidade trazendo elementos que contribuam não apenas com o diagnóstico, mas também com a constituição de alternativas na região a partir da ideia de mobilização do conhecimento. 


Palavras-chave


Mobilização do Conhecimento. Universidade. Ciência e Tecnologia.

Texto completo:

PDF

Referências


LÖWY, Michel. (2016). O Estado de exceção predomina. A democracia é que foi excepcional. Em: Blog da Boitempo. Publicado em 30/05/2016. Disponível em: https://blogdaboitempo.com.br/2016/05/30/michael-lowy-o-estado-de-excecao-predomina-a-democracia-e-que-foi-excepcional/. Acesso em: 27 de dez 2018.

MONFREDINI, Ivanise. (2018). A Relação Universidade e Classes Populares. In: Revista Lusófona de Educação, 39, 5-9 5doi: 10.24140/issn.1645-7250.rle39, p131-145.

NAIDORF, Judith e ALONSO, Mauro. (2018). La movilización del conocimiento en tres tiempos. In: Revista Lusófona de Educação, 39, 81-95 81doi: 10.24140/issn.1645-7250.rle39.06.2018




DOI: https://doi.org/10.5585/eccos.n49.13848

Direitos autorais 2019 EccoS – Revista Científica

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

EccoS – Revista Científica
ISSN da versão online: 1983-9278
ISSN da versão impressa: 1517-1949
www.revistaeccos.org.br