A Educação a Revolução Social de Martinho Lutero

Ernesto Jacob Keim

Resumo


Nesse artigo, desenvolvido junto ao Grupo de Pesquisa Filosofia e Educação EDUCOGITANS que atua junto ao Programa de Mestrado em Educação da Universidade Regional de Blumenau se debatem aspectos decorrentes do movimento desencadeado por Lutero, Melanchthon e Cranach, por volta de 1517, conhecido como reforma protestante, no que se refere à educação identificada como agente revolucionário. Além da abordagem histórica pouco explorada, este artigo traz para a atualidade um extrato de sua obra no que se refere a uma ética social que se mostra presente em toda a produção literária de Martinho Lutero. A pesquisa base desse texto elaborou um conjunto de vinte aspectos referenciais para planejamentos educacionais referenciados, confrontados e integrados com a Ética Social de Lutero e os referenciais educacionais defendidos por Paulo Freire.

Palavras-chave


Educação e revolução; Martinho Lutero e educação; Ética e educ

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/eccos.v12i1.1907

Direitos autorais



Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

EccoS – Revista Científica
ISSN da versão online: 1983-9278
ISSN da versão impressa: 1517-1949
www.revistaeccos.org.br