A parceria como ferramenta de ação empresarial na definição da política de formação continuada de professores

Liege Goulart Dornelas, André Silva Martins

Resumo


O trabalho tem por objetivo analisar o fenômeno político parcerias na educação. Tomamos como foco a relação entre organizações empresariais e aparelhagem estatal, considerando o contexto de difusão da ideologia da responsabilidade social e de afirmação do modelo de Estado gerencial no Brasil. O recorte empírico da pesquisa se concentrou nas formulações da Fundação Vale – FV sobre o tema parcerias na educação. O objetivo do estudo é problematizar a existência do fenômeno e elucidar as implicações do mesmo sobre a configuração da política de formação docente. À luz do materialismo histórico, o processo de investigação se concentrou nas fontes documentais produzidas pela FV. Concluímos que a articulação política proposta pela FV às Secretarias de Educação implica na definição das bases da política de formação de professores, visando transformá-los em difusores e organizadores de certa concepção de formação humana e na legitimação do empresariado como formulador e executor de política educacional.

Palavras-chave


parceria; política educacional; empresariado.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/eccos.n30.3715

Direitos autorais



Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

EccoS – Revista Científica
ISSN da versão online: 1983-9278
ISSN da versão impressa: 1517-1949
www.revistaeccos.org.br