Modelos contra-hegemônicos de Educação Superior: um estudo sobre a Universidade Federal da Fronteira Sul

Manuel Tavares

Resumo


Este artigo é uma reflexão sobre a universidade, com incidência nos novos modelos de educação superior. O acesso à universidade não pode continuar a ser uma questão de mérito e privilégio, mas um direito de toda a população, garantido pelo Estado. O direito à educação, em condições de igualdade, implica a ampliação do espaço público de educação e a democratização das instituições educativas. Novos modelos de educação superior têm surgido no Brasil, nos últimos dez anos, na contramão das universidades tradicionais, com projetos institucionais de inclusão dos grupos sociais que, ao longo do tempo, foram excluídos do direito inalienável a uma educação superior. A Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), sobre a qual incide este estudo, apresenta-se como uma dessas instituições que, a todos os níveis, pretende ser contra-hegemônica. Do ponto de vista metodológico, foram analisados os documentos institucionais e realizadas entrevistas aos principais protagonistas que contribuíram para a institucionalização da universidade e para a operacionalização do seu projeto inovador, de caráter popular.

Palavras-chave


Educação superior; Universidade Federal da Fronteira Sul; Educação popular; educação contra-hegemônica; Inclusão.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/eccos.n42.6868

Direitos autorais



Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

EccoS – Revista Científica
ISSN da versão online: 1983-9278
ISSN da versão impressa: 1517-1949
www.revistaeccos.org.br