A trajetória recente da educação de pessoas jovens e adultas no Chile: inferências de um estudo comparado

Adenilson Souza Cunha Júnior, Leôncio José Gomes Soares, Violeta Rosa Acuña Collado

Resumo


Este artigo é um recorte de uma pesquisa mais abrangente defendida como tese no curso de doutorado latino-americano em educação, políticas públicas e profissão docente da Universidade Federal de Minas Gerais intitulada: Formação de professores para a Educação de Pessoas Jovens e Adultas (EPJA), no Brasil e no Chile: Um estudo comparado entre a Região de Valparaíso e o Estado da Bahia. Neste texto, nos limitamos em apresentar os dados que foram produzidos no período de estágio doutoral realizado no Chile. Considerando que a pesquisa acadêmica sobre a EPJA nesse país é incipiente e mantém uma relação direta com a pouca relevância que tem sido dada a essa modalidade enquanto política pública, o estudo em tela possibilitou coletar e sistematizar dados para análise, interpretação e comparação a partir da perspectiva metodológica da educação comparada, numa abordagem panorâmica sobre a trajetória recente da EPJA no país quanto a suas concepções, finalidades e inserção no âmbito da política educacional chilena. Evidenciamos que a perspectiva certificadora da EPJA no Chile acompanha as bases ideológicas da política neoliberal assumida pelo Estado, levando a crer que a modalidade deve cumprir apenas com a finalidade de integrar seus sujeitos ao mundo do trabalho e garantir a empregabilidade.

Palavras-chave


Educação de Pessoas Jovens e Adultas. Política Educacional. América Latina.

Texto completo:

PDF

Referências


ACUÑA. Violeta, R. C. Experiencia del Diplomado de Educación de Adultos en la Universidad de Playa Ancha, Chile. Decisio, México v. 42, p. 45-49, 2015.

BALL, S. Reformar escolas/reformar professores e os terrores da performatividade. Revista Portuguesa de Educação, Braga, v. 15, n. 2, p. 3-23, 2002. 15(2), pp. 03-23.

BAZZO, V. L. As consequências do processo de reestruturação do Estado Brasileiro sobre a formação dos professores da Educação Básica: algumas reflexões. In: PERONI, V. M. V.; PEGORARO, L.; COSTA, A. C. (org.). Dilemas da educação brasileira em tempos de globalização neoliberal: entre o público e o privado. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2006.

BEREDAY, G. Z. F. Método comparado em Educação. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1972.

BRITO, Vera Lúcia Alves de. O público, o privado e as políticas educacionais. In: OLIVEIRA, Dalila Andrade; DUARTE, Maria R. T. (org.). Política e trabalho na escola: administração dos sistemas públicos de educação básica. Belo Horizonte: Autêntica, 2001.

CASASSUS, J. A reforma educacional na América Latina no contexto de globalização. Caderno de Pesquisa, São Paulo: Autores Associados, n. 144, p. 07-28, nov. 2001.

CASTILLO, Dante. Educación de adultos y participación social en chile: la perspectiva de los beneficiarios. Anais do Tercer Congreso Interdisciplinario de Investigación en Educación. Santiago, Chile. 2014. Disponível em Acesso em 26 de agosto de 2016.

CATELLI JÚNIOR, Roberto. Políticas de Certificação por meio de exames nacionais para a Educação de Jovens e Adultos: um estudo comparado entre Brasil, Chile e México. Tese (Doutorado - Programa de Pós-Graduação em Educação) FE/USP, 2016.

CHILE. Ley Orgánica Constitucional de Enseñanza. N.º 18.962. Santiago, 10 de março de 1990.

CHILE. Ministerio de la Educación. Decreto Supremo de Educación, Nº 239 del año 2004 (Marco Curricular de la Educación de Adultos) Disponível em: Acesso em: 26 dez. 2015.

CHILE. Ministerio de Educación. Ministerio de Economía. Ministerio del Trabajo y Previsión Social. Resumen Ejecutivo: Evaluación en Profundidad Programa Chilecalifica. Santiago de Chile: Santiago Consultores Associados, 2009. Disponível em: Acesso em: 26 nov. 2016.

CORVALÁN, Javier. La educación de mercado en Chile y su propuesta de superación, Cuaderno de Educación, Nº 66, junio de 2010.

CORVALÁN, Javier. El campo educativo chileno. Informe de circulación restringida. Proyecto Equidad para la Acción. Santiago de Chile: CIDE, 2007.

CORVALÁN, Javier Situación presente de la educación de personas jóvenes y adultas en Chile. México: CREFAL, 2008.

DI PIERRO, Maria C. Educação de Jovens e Adultos na América Latina e Caribe: Trajetória Recente. Cadernos de Pesquisa, v. 38, n. 134, maio/ago. 2008.

DI PIERRO, Maria C.; JOIA, Orlando; RIBEIRO, Vera M. Visões da Educação de Jovens e Adultos no Brasil. Cadernos Cedes, ano XXI, nº 55, novembro/2001.

DÍAZ, Sebastián D. Nova institucionalidade da educação pública no Chile: Debates, análises e propostas. In: GOUVEIA, Andreia Barbosa et al.(org.). Brasil e Chile: Diálogos (im)pertinentes. Curitiba, Appris, 2015.

ESPINOZA DÍAZ, O., CASTILLO, D., GONZÁLEZ FEIGEHEN L., SANTA CRUZ, J. Educación de adultos e inclusión social en Chile. Psicoperspectivas, v.13 n.3, p. 69-81, 2014. Disponível em: . Acesso em: 14 jan. 2017

KRAWCZYK, Nora Rut; VIEIRA, Vera Lúcia. Homogeneidade e heterogeneidade nos sistemas educacionais: Argentina, Brasil, Chile e México. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 36, n. 129, p. 673-704, set./dez. 2006.

LENCIONI, Sandra. Região e geografia. São Paulo: Edusp, 1999.

MARQUEZ, Diego M. Educación Comparada: teoria y metodologia. Buenos Aires: Editorial El Ateneu, 1972.

NÓVOA, António. Modèles d’analyse en Éducation Comparée: Le Champ et la Carte. Les Sciences de l’Éducation pour l’ère nouvelle, n. 2/3, p. 9-61, 1995.

SCHNEIDER, Gabriela. Centralização, Descentralização ou Descentralização: um olhar sobre a realidade brasileira e chilena. In: GOUVEIA, Andreia Barbosa et al. (org.). Brasil e Chile: Diálogos (im)pertinentes. Curitiba, Appris, 2015.

TORRES, Carlos A. Política para educação de adultos e globalização. Currículo sem Fronteiras, v.3, n.2, pp.60-69, Jul/Dez 2001.

TORRES, Carlos Alberto. Estado, polítcas públicas e educação de adultos. In: GADOTTI, Moacir & ROMÃO José Eustáquio. (org) Educação de Jovens e Adultos: teoria prática e 11 propostas. – 3ª ed. – São Paulo: Cortez: Instituto Paulo Freire, 2003.

UNESCO. Relatório Global Sobre Aprendizagem e Educação de Adultos. Brasília: UNESCO, 2010.

UNESCO. Relatório Global Sobre Aprendizagem e Educação de Adultos. Brasília: UNESCO, 2012.

VARGAS, Jorge Osório. La educación de personas adultas como “inversión en ciudadanía” y “bienestar en común”: hacia otro paradigma de desarrollo educativo. Disponível em: Acesso em: 7 ago. 2017.

VARGAS. Desafíos docentes en la Educación de Jóvenes y Adultos en Chile: hacia una agenda de conversaciones para el diseño e implementación de nuevas políticas. Revista Temas de Educación, n. 19, v. 1, 2013.

WILLIAMSON, Guillermo C.; ACUÑA, Violeta C. Profesores y Profesoras que se Perfeccionan en la Educación de Adultos de la macro Zona Sur del Chile. Revista Educación y Humanidades, Año 3 v. especial, 2013.

ZEMELMAN, Hugo. Sobre políticas y educación de adultos: necesidad de un enfoque. Revista Interamericana de Educación de Adultos, v. 31, n. 2, p. 49-62 jul./dez. 2009. Disponível em: http://www.crefal.edu.mx/rieda/index.php?option=com_content&view=article&id=196&Itemid=179 Acesso em: 11 set. 2018.




DOI: https://doi.org/10.5585/eccos.n48.8396

Direitos autorais 2019 EccoS – Revista Científica

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

EccoS – Revista Científica
ISSN da versão online: 1983-9278
ISSN da versão impressa: 1517-1949
www.revistaeccos.org.br