A Economia Compartilhada como um Movimento de Transição para uma Mobilidade Sustentável

Carlos Henrique Távora Pereira, Minelle E. Silva

Resumo


Há cada vez mais evidências da necessidade vivenciada pela sociedade de buscar transição para sustentabilidade. Uma das áreas que tem buscado esta transição refere-se à mobilidade, que continuamente busca alternativas sustentáveis. Neste contexto, a Economia Compartilhada tem exercido importante influência na sociedade, todavia ainda há dúvidas se a mesma atua favorável ao movimento da sustentabilidade. Para debater sobre isto,  o objetivo da pesquisa é analisar empreendimentos de serviços de transporte à luz da abordagem de transição para sustentabilidade. Após uma argumentação teórica, uma pesquisa documental foi realizada e dois casos reais são abordados a título de ilustração, como apoio empírico ao entendimento dos argumentos. Identifica-se que os casos possuem particularidades no que se refere ao regime de mercado e necessitam refletir sobre seus valores e a valorização realizada por seus pares. Tais resultados sugerem caminhos distintos de mudanças, mas podem atuar favoravelmente ao movimento de transição para sustentabilidade. Por meio de argumentos teóricos com a integração dos temas propostos, conclui-se que a Economia Compartilhada pode ser considerada um caminho para sustentabilidade, mantidas suas propriedades originais e atuando como um sistema sócio-técnico de mudança.


Palavras-chave


Economia CompartilhTransição para Sustentabilidade, Mobilidade.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/geas.v7i3.855

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Revista de Gestão Ambiental e Sustentabilidade – GeAS



Rev. Gest. Ambient. Sustentabilidade, São Paulo, SP, Brasil. e-ISSN: 2316-9834

Rua Vergueiro, 235/249 - Liberdade, São Paulo - SP (Brasil), Cep: 01504-000