O Alinhamento Estratégico para a confecção do portfólio de projetos no caso do Planejamento Estratégico 2017-2018 da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte

Carlos Eduardo Artioli Russo, Alexandre do Vale Lima

Resumo


O presente artigo tem como objetivo descrever o processo de escolha, de portfólio dos projetos estratégicos, realizada no Planejamento Estratégico 2017-2018 da Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Norte (ALRN), Brasil. Metodologicamente, a pesquisa qualitativa caracterizou-se por um estudo de caso de múltiplas fontes de evidência (Yin, 2016), com três fases: entendimento de sistemáticas, compilação dos dados quanto à formação de portfólio e análise do produto final, a fim de esclarecer como ocorreu o processo de escolha do portfólio de projetos no Planejamento Estratégico 2017-2018, bem como traçar um perfil de formação de portfólio em relação ao alinhamento estratégico almejado pela ALRN. Os resultados apontaram para um alinhamento estratégico onde foram identificadas as fases de definição de eixos estratégicos, critérios de descarte e vinculação dos catorze projetos na criação do portfólio de projetos estratégicos. Contudo, registra-se, como ponto de atenção, a inclusão de projetos diretamente pela direção da instituição na fase final de definição do portfólio, fato este de risco para a manutenção do alinhamento, por não seguir a metodologia geral de construção do portfólio. Assim, o artigo visa contribuir nas discussões sobre o tema, ao partir de uma perspectiva de alinhamento estratégico onde se acrescenta uma discussão acerca da seleção dos projetos, de modo a garantir a devida prioridade dentro da organização, buscando a eficiência e eficácia em seus processos.


Palavras-chave


Gestão de Portfólio de Projetos; Planejamento Estratégico; Poder Legislativo

Texto completo:

PDF

Referências


Almeida, A. C., & Cardoso, A. J. (mai./ago de 2014). Diagnóstico rápido participativo e matriz SWOT: estratégias de planejamento com base na atual posição do curso de secretariado executivo UEPA. Revista de Gestão e Secretariado - GeSec, 5(2), 117-137.

ALRN. (2017). Resolução 090/2017 - Dispõe sobre a reorganização da estrutura administrativa da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte e dá outras providências. Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, Natal.

Andrade, E. F., & Oliveira, J. d. (2018). A Composição de Critérios de Seleção de Portfólio de Projeto de TI: Um Estudo de Caso em Uma Instituição Federal de Ensino Superior. Multi-Science Research (MSR), 1(1), 95-113.

Arretche, M. (fev. de 2003). Dossiê agenda de pesquisa em políticas públicas. Revista Brasileira de Ciências Sociais, 18(51).

Barros, L. A. (2007). Alinhamento estratégico. São Paulo: Tese (Doutorado em Administração) – Programa de Pós-Graduação em Administração, Universidade de São Paulo, São Paulo. 162f.

Biondini, I. V. (Mai./Ago de 2015). A formulação, implementação e acompanhamento da estratégia no Estado de Minas Gerais. Revista de Gestão e Projetos – GeP, 6(2).

Bresser-Pereira, L. C. (2014). Reforma da nova gestão pública: agora na agenda da América Latina. Revista do Serviço Público, 53(1), 5-27.

Brodbeck, A. F., & Hoppen, N. (2003). Alinhamento estratégico entre os planos de negócio e de tecnologia de informação: um modelo operacional para implementação. Revista de Administração Contemporânea, 7(3), 9-33.

Caetano Júnior, M. B. (2018). A importância do Planejamento Estratégico, tático e operacional no gerenciamento de projetos. Revista Saber Eletrônico, 2(1), 10.

Cintra, L. P. (2008). Estrutura organizacional integrada para gestão da estratégia. PRETEXTO, 8(3), 105-122.

Clegg, S., Killen, C., Biesenthal, C., & Sankaran, S. (2018). Practices, projects and portfolios: Current research trends and new directions. International Journal of Project Management, 36(5), 762-772.

Cukierman, Z. S., & Dinsmore, P. C. (1981). Administração de Projetos – Caracterização e Problemática – Uma Abordagem Administrativa. Rio de Janeiro: Interamericana.

Falsarella, O. M., & Jannuzzi, C. A. (2017). Planejamento estratégico empresarial e planejamento de tecnologia de informação e comunicação: uma abordagem utilizando projetos. Gest. Prod, 24(3), 610-621.

Fedorowicz, J., Gelinas Júnior, U., Gogan, J., & Williams, C. B. (2009). Strategic alignment of participant motivations in e-government collaborations: The Internet Payment Platform pilot. Government Information Quarterly, 26, 51–59.

Fonseca, J. J. (2002). Metodologia da pesquisa científica. Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza.

Gafuri, R. A., Rojo, C. A., & Miura, M. N. (Jan./Mar de 2017). Planejamento estratégico: diagnóstico e proposta de intervenção por meio de consultoria. Revista Capital Científico – Eletrônica (RCCe), 15(1).

Kerzner, H. (2002). Gestão de Projetos: as melhores práticas. Porto Alegre: Bookman.

Kitchenham, B., & Charters, S. (2007). Guidelines for performing Systematic Literature Reviews in Software Engineering (Technical Report No. EBSE-2007-01). Evidence-Based Software Engineering (p. 65). Keele, UK: Keele University.

Lopes, L. H. (2015). A gestão pelas diretrizes como mecanismo de direcionamento estratégico da melhoria contínua: Estudo de caso de uma prestadora de serviço. Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP, Campinas.

Meneses, R. S., Oliveira, L. G., & Vasconcelos, T. J. (Set./Dez de 2016). O gerenciamento de projetos em um tribunal de justiça: análise dos prazos dos projetos estratégicos 2010-2014. Revista de Gestão e Projetos – GeP, 7(3).

Oliveira, D. d. (2012). Planejamento Estratégico – Conceitos, Metodologia, Práticas (30 ed.). São Paulo: Atlas.

Oliveira, R. R., Martins, H. C., & Dias, A. T. (2018). A gestão do portifólio de projetos e a teoria dos custos de transação: proposições técnicas. Gestão & Planejamento-G&P, 10, 23.

Ornelas Silva, J. E., Seemann, D. K., Melo, M. B., Amante, C. J., Ramos, A. M., & Silva, G. T. (Set de 2014). Conciliando administração de projetos com planejamento estratégico na gestão de universidades federais brasileiras. Revista GUAL, 7(3), 93-114.

Ota, E. T. (2014). Os desafios para o uso do planejamento estratégico nas organizações públicas: uma visão de especialistas. Tese de Mestrado. Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas da Fundação Getúlio Vargas, Rio de Janeiro.

PMI. (2008). The Standard for Portfolio Management: Second Edition. Newtown Square: Project Management Institute.

Porter, M. E. (1999). Competição: estratégias competitivas essenciais. Rio de Janeiro: Campus.

Riis, E., Hellström, M. M., & Wilström, K. (2019). Governance of Projects: Generating value by linking projects with their permanent organisation . International Journal of Project Management.

RIO GRANDE DO NORTE. (1989). Constituição Estadual. Promulgada em 1989 e ementas posteriores. Natal.

Russo, C. E. (2015). Planejamento Estratégico da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte para o biênio 2015/2016 (1 ed.). Natal: Jovens Escribas.

Russo, C. E. (2017). Planejamento Estratégico da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte para o biênio 2017-2018 (1 ed.). Natal: Jovens Escribas.

Russo, C., & Dias, T. (2016). Diretrizes da construção do primeiro planejamento estratégico da Assembleia Legislativa do Rio Grand do Norte - Brasil. VII Congreso Internacional en Gobierno, Administración y Políticas Públicas GIGAPP, Madrid, España.

Secchi, L. (2009). Modelos organizacionais e reformas da administração pública. Revista de Administração Pública, 43(2), 347-369.

Silva, C. L., & Bassi, N. S. (Jan./Jun de 2013). Planejamento estratégico e priorização de projetos em uma instituição pública de saúde: o caso da Fiocruz-PR. Textos & Contextos (Porto Alegre), 12(1), 85-99.

Silvestro, R., & Silvestro, C. (2003). New service design in the NHS: an evaluation of the strategic alignment of NHS Direct. International Journal of Operations & Production Management, 23(4), 401-417.

Sousa, J. C., & Dias, P. H. (Abril de 2017). Integração do planejamento estratégico ao Pensamento estratégico. Revista de Ciências da Administração, 19(47), 29-44.

Too, E. G., & Weaver, P. (2014). The management of project management: A conceptual framework for project governance. International Journal of Project Management, 32(8), 1382-1394.

Vargas, R. V., & IPMA-B, P. M. (2010). Utilizando a programação multicritério (Analytic Hierarchy Process-AHP) para selecionar e priorizar projetos na gestão de portfólio. PMI Global Congress (vol 2009).

Yan, S., & Ji, X. (2018). Portfolio selection model of oil projects under uncertain environment. Soft Computing, 22(17), 5725-5734.

Yin, R. K. (2016). Pesquisa qualitativa do início ao fim. Porto Alegre: Penso.

Zanatta, J. M. (2018). Teoria da contingência estrutural e alinhamento estratégico: discussão no campo teórico dos estudos organizacionais/Theory of structural contingency and strategic alignment: discussion in the theoretical field of organizational studies. Brazilian Journal of Development, 4(7), 4232-4241.




DOI: https://doi.org/10.5585/gep.v10i1.10992

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Carlos Eduardo Artioli Russo, Alexandre do Vale Lima, Josué Vitor de Medeiros Júnior

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

GeP – Revista Gestão e Projetos
ISSN da versão eletronica: 2236-0972
http://www.revistagep.org