Fatores Determinantes da Propensão ao Consumo de Cirurgias Plásticas Estéticas

Mateus Canniatti Ponchio, Carla Giglioli Martins, Cecilia Bandeira de Melo Vieira, Daniela Menezes

Resumo


O presente estudo analisa o consumo de cirurgias plásticas com finalidade estética entre as consumidoras de São Paulo e Recife, duas grandes cidades brasileiras que possuem características econômicas, demográficas e culturais distintas. Nesse contexto, os objetivos são compreender a influência do materialismo, da autoestima e de variáveis de controle sobre a decisão de realizar uma cirurgia plástica estética. Um questionário foi elaborado com perguntas fechadas e aplicado pela Internet, resultando em dados disponíveis para análise de 347 respondentes. Com 173 moradoras de São Paulo e 174 de Recife, constatou-se que a cidade da respondente não ajuda a discriminar a probabilidade de que efetue uma cirurgia plástica com finalidade estética; por outro lado, a dimensão ‘influências sociais’ da escala de autoestima, bem como o nível de materialismo e a idade das respondentes provaram-se variáveis preditoras significantes desse tipo de consumo. Por fim, são apresentadas implicações gerenciais e acadêmicas dos achados desse estudo, bem como possibilidades para novas investigações.

 

DOI: 10.5585/remark.v12i4.2511


Palavras-chave


Cirurgia Plástica Estética; Autoestima; Materialismo; Comportamento do Consumidor

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/remark.v12i4.2511

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Revista Brasileira de Marketing – Remark



Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

REMark – Rev. Bras. Mark.
ISSN da versão online: 2177-5184
www.revistabrasileiramarketing.org