Exercício físico e comprimento dos telômeros: uma revisão sistemática nas disfunções crônico-degenerativas

Gustavo de Moraes Silva, Flavio de Souza Araujo, Alfredo Anderson Teixeira-Araújo, Reginaldo Luiz do Nascimento, Geovani Alves dos Santos, Sérgio Rodrigues Moreira

Resumo


Introdução: Os telômeros estão localizados nas extremidades dos cromossomos e constituem-se de sequências do DNA e proteínas associadas. O exercício físico parece ter relação com um maior comprimento de telômeros, porém, pouco se sabe sobre o impacto deste na dinâmica telomérica de pessoas com disfunções crônico-degenerativas.  Objetivo: Revisar sistematicamente a literatura a respeito do efeito do exercício no comprimento dos telômeros em pessoas com disfunções crônico-degenerativas. Métodos: Foram realizadas buscas por dois investigadores independentes nas bases de dados Pubmed, Scopus, Lilacs e Cochrane Controlled Trials Database, analisando publicações nos idiomas inglês e português. Resultados: Foram encontrados 845 estudos, onde destes, quatro atenderam aos critérios de elegibilidade e seguiram para síntese. Conclusão: Embora o encurtamento dos telômeros esteja relacionado ao estilo de vida, herança genética e doenças do envelhecimento, ainda não está claro se o exercício físico pode atenuar tal processo de encurtamento de forma significativa em indivíduos com disfunções crônico-degenerativas, como excesso de peso e diabetes.


Palavras-chave


Exercício; Telômero; Doenças metabólicas.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/conssaude.v17n2.8037

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Conscientiae Saúde
ISSN da versão impressa: 1677-1028
ISSN da versão online: 1983-9324
www.conscientiaesaude.org.br
conscientiaesaude@uninove.br