Relação entre força muscular periférica e funcionalidade em pacientes críticos

Vitória Dias Ferreira, Tamara Martins da Cunha, Ivanízia Soares da Silva, Patrícia Angélica de Miranda Silva Nogueira, Aline Medeiros Cavalcanti da Fonsêca

Resumo


Introdução: Os pacientes críticos vão adquirindo fraqueza muscular e diminuição da funcionalidade. Objetivos: Comparar e relacionar a força muscular periférica e funcionalidade em pacientes críticos. Métodos: Utilizado a escala Functional Status Score for Intensive Care Unit (FSS-ICU) e o para identificar a Força de Preensão manual (FPM), o dinamômetro hidráulico de mãoForam divididos em 3 grupos de acordo com o dia de avaliação, sendo: G1 (com 24horas de internação), G2 (com 48horas de internação) e G3 (com mais de 48horas de internação). Resultados: A média da FSS-ICU foi 16,6 pontos em toda a amostra. Houve redução da funcionalidade e da FPM quando comparados os grupos, à medida que aumentou o tempo de internação, sendo estatisticamente significativa apenas no G3. Observou-se correlação moderada entre toda a amostra e o G3 (r= 0,67, p<0,01). Conclusão: Os dados sugerem que partir de 48 horas de internação na UTI há diminuição da força periférica e uma correlação entre esta e sua funcionalidade.


Palavras-chave


UTI; Força Muscular; Cuidados Críticos; Reabilitação.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/conssaude.v17n3.8420

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Conscientiae Saúde
ISSN da versão impressa: 1677-1028
ISSN da versão online: 1983-9324
www.conscientiaesaude.org.br
conscientiaesaude@uninove.br