O jovem no Brasil nunca é levado a sério

Chris Royes Schardosim, Renata Lewandowski Montagnoli, Jonatas Rubens Tavares

Resumo


Este artigo tem por objetivo analisar a categoria social juventude na atual conjuntura brasileira. Para tanto, busca compreender: o que é ser jovem e o que é ser jovem em contexto escolar violento. Os principais autores que ajudaram a embasar a discussão foram: Castro (2002), Groppo (2004), D’Agostini; Nogara Junior; Marcassa (2017, 2019), Andrade; Farah Neto (2007) e Ponce (2000). Para responder aos objetivos foi realizada uma pesquisa bibliográfica de caráter exploratório, conforme os conceitos dos autores Severino (2007) e Gil (2008). Ao final do artigo foi possível compreender que a sociedade não deve comparar os jovens da atualidade com as juventudes do passado, que a violência a que os jovens são submetidos nas áreas periféricas é, ainda, um desafio a ser vencido e que a escola deve buscar formas de não reproduzir a violência e tem papel fundamental no desenvolvimento de um jovem protagonista e apto para a vivência social.


Palavras-chave


juventude; violência; educação; exclusão social

Texto completo:

PDF

Referências


ABRAMO, Helena; SOUTO, Anna Luiza Saller; FACCHINI, Regina; NASCIMENTO, Erica. Relatório nacional Brasil: pesquisa sobre juventudes no Brasil. Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas (iBase)/Instituto de Estudos, Formação e Assessoria em Políticas Sociais (Pólis), 2009. Disponível em: https://www.ibase.br/userimages/Brasil_ultimarev.pdf. Acesso em: 10 jan. 2021.

ANDRADE, Eliane Ribeiro; FARAH NETO, Miguel. Juventudes e Trajetórias Escolares: conquistando o direito à educação. In: ABRAMOVAY, Miriam; ANDRADE, Eliane Ribeiro; ESTEVES, Luiz Carlos Gil (Orgs.). Juventudes: outros olhares sobre a diversidade. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade; Unesco, 2007. p. 55-78. Disponível em: https://bibliotecadigital.mdh.gov.br/jspui/bitstream/192/160/1/MECUNESCO_juventudesoutrosolharessobreadiversidade_2007.pdf. Acesso em: 8 jan. 2021.

BARBER-MADDEN, Rosemary; SABER, Bruno Abe. A situação dos jovens no mundo. In: BARBER-MADDEN, Rosemary.; SANTOS, Taís de Freitas. (Orgs.) A juventude brasileira em contexto atual e em cenário futuro. UNFPA – Fundo de População das Nações Unidas; Caixa Seguros; Secretaria Nacional de Juventude; Universidade de Brasília, 2016. p. 17-39. Disponível em: http://www.unfpa.org.br/Arquivos/livro_juventude.pdf. Acesso em: 26 maio 2020.

CARRANO, Paulo. Juventudes: as identidades são múltiplas. Movimento: Revista da Faculdade de Educação da UFF. RJ: DP&A Editora, n. 1, maio 2000. p. 1-8. Disponível em: https://periodicos.uff.br/revistamovimento/article/view/32415. Acesso em: 10 jun. 2020. DOI: https://doi.org/10.22409/mov.v0i01.189

CASTRO, Mary Garcia. Violências, juventudes e educação: notas sobre o estado do conhecimento. Revista Brasileira de Estudos de População, Castro, v. 19, n. 1, jan./jun. 2002. p. 5-28. Disponível em: https://www.rebep.org.br/revista/article/view/328. Acesso em: 10 jun. 2020.

CHORÃO; CHAMPIGNON; PELADO; NEGRA LI. Não é sério. In: Nadando com os tubarões. Intérprete: Charlie Brown Jr e Negra Li. São Paulo: Virgin Records, c2000. 1CD. Faixa 3 (4 min 50).

D’AGOSTINI, Adriana; NOGARA JUNIOR, Gilberto; MARCASSA, Luciana Pedrosa. Juven-tude e periferias urbanas: Perfil, cultura e outros aspectos da vida social e afetiva. Revista Peda-gógica (Revista do Programa de Pós-Graduação em Educação da Unochapecó), v. 19, n. 41, p. 137-153, maio/ago. 2017. Disponível em: https://bell.unochapeco.edu.br/revistas/index.php/pedagogica/article/view/3785. Acesso em: 4 jan. 2021. DOI: https://doi.org/10.22196/rp.v19i41.3785

D’AGOSTINI, Adriana; NOGARA JUNIOR, Gilberto; MARCASSA, Luciana Pedrosa. Cultura e vida social e afetiva subsumida à lógica de produção e reprodução do capital: o caso da juventude pobre do maciço do Morro da Cruz. In: MARCASSA, Luciana Pedrosa; CONDE, Soraya Franzoni; DALMAGRO, Sandra Luciana (Org.). Juventude pobre e escolarização: trabalho, cultura e perspectiva de futuro nos territórios do maciço do Morro da Cruz – Florianópolis. Florianópolis: Editora Em Debate, 2019. p. 427-448. Disponível em: https://editoriaemdebate.ufsc.br/catalogo/wp-content/uploads/LUCIANA-MORRO-DA-CRUZ-E-BOOK.pdf. Acesso em: 29 jun. 2021.

GIL, Antonio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

GROPPO, Luís Antônio. Dialética das Juventudes modernas e contemporâneas. Revista de Educação do COGEIME, v. 13, n. 25, p. 9-22, 2004. Disponível em: https://www.metodista.br/revistas/revistas-cogeime/index.php/COGEIME/article/view/629. Acesso em: 21 abr. 2020. DOI: http://dx.doi.org/10.15599/0104-4834/cogeime.v13n25p9-22

MARTÍN, Elena; DEL BARRIO, Cristina; MONTERO, Ignacio; FERNÁNDEZ, Ignacio; GUTIÉRREZ, H.; OCHAÍTA, Esperanza. A violência na escola. In: MARCHESI, Álvaro; GIL, Carlos Hernández. (Orgs.) Fracasso escolar: uma perspectiva multicultural. Porto Alegre: ArtMed, 2004. p. 111-123.

PONCE, Branca Jurema. Um olhar sobre a ética e o compromisso. Revista do projeto Salto para o Futuro - Um olhar sobre a escola. BRASIL. vol. 12. Ministério da Educação. Secretaria Especial de Educação a Distância. Brasília: SEED, 2000. p. 89-96.

SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. 23. ed. rev. e atual. São Paulo: Cortez, 2007.

ZALUAR, Alba; LEAL, Maria Cristina. Violência extra e intramuros. Revista Brasileira de Ciências Sociais (RBCS), São Paulo, v. 16, n. 45, p. 145-164, fev. 2001. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rbcsoc/v16n45/4335.pdf. Acesso em: 3 abr. 2021.




DOI: https://doi.org/10.5585/cpg.v20n2.19968

Direitos autorais 2021 Cadernos de Pós-graduação

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Cadernos de Pós-graduação
e-ISSN: 2525-3514
www.cadernosdepos.org.br

Cadernos de Pós-graduação ©2022 Todos os direitos reservados.

Esta obra está licenciada com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional