Responsabilização, meritocracia e desfiliação social no Brasil

Audrei Rodrigo da Conceição Pizolati, Alexandre Alves

Resumo


O artigo investiga as razões para a mudança de ênfase nas propostas pedagógicas brasileiras em dois momentos históricos: entre os anos 1920 e 1930 e entre os anos 1990 e 2010. Com esse objetivo em vista, procede-se à análise de fontes como a I Conferência Nacional de Educação (1927), o Manifesto dos Pioneiros (1932) e, para o período contemporâneo, leis e decretos nacionais (1996-2018). No primeiro contexto, foi possível verificar que o debate entre os saberes biológicos e os sociológicos em busca de legitimação encontra na área de educação seu principal palco de disputa. No passado, intelectuais influenciados pela eugenia recorreram à biologia como forma de modernizar o país por meio da educação eugênica e da exclusão dos indivíduos “indesejados”. Nas últimas décadas, observa-se um retorno desse tipo de discurso de fundo biológico, mas agora a exclusão biossocial de sujeitos apela não mais à ideologia da nação, mas à sacralização neoliberal da “meritocracia”. Da comparação entre os dois contextos, conclui-se que a mudança de ênfase nas propostas pedagógicas que antes primavam pelo social, agora visa a formação individualizante do “neossujeito” flexível e responsável por si mesmo. O sucesso e insucesso escolar passam a ser vistos unicamente como dependentes da capacidade do indivíduo de gerenciar sua própria vida e não como resultado de problemas estruturais da sociedade, o que tem conduzido a um processo de crescente desfiliação social. 

 

 


Palavras-chave


desfiliação social; meritocracia; políticas de responsabilização

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, Alexandre; PIZOLATI, Audrei Rodrigo da Conceição. EUGENIA, EDUCAÇÃO E SABER MÉDICO: O DISCURSO EUGÊNICO NA I CONFERÊNCIA NACIONAL DE EDUCAÇÃO (1927). História & Ensino, Londrina, v. 25, n. 1, p. 427-451, jan./jun. 2019. DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2238-3018.2019v25n1p427

ANDERSON, Gary. A reforma escolar como performance e espetáculo político. Educação e Realidade, Porto Alegre, v. 35, n. 2, p. 57-76, mai./ago. 2010. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/educacaoerealidade/article/view/12883 Acesso em 28 dez. 2018.

AZEVEDO, Fernando de. A educação entre dois mundos: problemas perspectivas e orientações. Obras completas. V. XVI, São Paulo: melhoramentos, 1958. p. 59-81.

BALL, Stephen. Performatividades e fabricações na economia educacional: rumo a uma sociedade performativa. Educação e Realidade, Porto Alegre, v. 35, n. 2, p. 37-58, mai./ago. 2010. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/educacaoerealidade/article/view/15865. Acesso em 07 dez. 2018.

BALL, Stephen. Gobernanza neoliberal y democracia patológica. In: COLLET, Jordi; TORT, Antoni. (orgs.). La gobernanza escolar democrática. Madrid: Morata, 2016, p. 23-40.

BAUMAN, Zygmunt. Modernidade e holocausto. Tradução: Marcus Penchel. Rio de Janeiro: Jorge Sahar, 1998.

BAUMAN, Zygmunt. Vida para consumo: a transformação das pessoas em mercadoria. Rio de Janeiro: Zahar, 2008.

BRASIL. LEI DE DIRETRIZES E BASES PARA A EDUCAÇÃO NACIONAL. 1996. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/lei9394_ldbn1.pdf. Acesso em: 10 jun. 2018.

BRASIL. RESOLUÇÃO CNE/CEB Nº 2, DE 11 DE SETEMBRO DE 2001. Institui Diretrizes Nacionais para a Educação Especial na Educação Básica. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CEB0201.pdf. Acesso em 10 jun. 2018.

BRASIL. DECRETO N° 5.296 DE DEZEMBRO DE 2004. Disponível em: http://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/2004/decreto-5296-2-dezembro-2004-534980-norma-pe.html. Acesso em: 10 jun. 2018.

BRASIL. DECRETO Nº 6.629, DE 4 DE NOVEMBRO DE 2008. Disponível em: http://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/2008/decreto-6629-4-novembro-2008-583089-norma-pe.html. Acesso em: 10 jun. 2018.

BRASIL. Base Nacional Curricular Comum. Educação é a Base. Brasília, MEC/CONSED/UNDIME, 2017. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br Acesso em 22 out. 2018.

BRASIL. DECRETO Nº 9.546, DE 30 DE OUTUBRO DE 2018. Disponível em: http://portal.imprensanacional.gov.br/materia//asset_publisher/Kujrw0TZC2Mb/content/id/47987595/do1-2018-10-31-decreto-n-946-de-30-de-outubro-de-2018-47987442. Acesso em: 22 out. 2018.

BROOKE, Nigel. O FUTURO DAS POLÍTICAS DE RESPONSABILIZAÇÃO EDUCACIONAL NO BRASIL. Cadernos de Pesquisa, v. 36, n. 128, mai./ago. 2006. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/cp/v36n128/v36n128a06.pdf. Acesso em: 13 nov. 2018.

CASTEL, Robert. As metamorfoses da questão social: uma crônica do salário. Tradução de Iraci D. Poleti. 5. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2005.

CALVINO, Ítalo. Assunto encerrado: discursos sobre a literatura e a sociedade. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

CLAPRÈDE, Édouard. A Escola Sob Medida. Rio de Janeiro: Fundo de Cultura, 1973.

COELHO NETO. Higyene e cultura physica. Educação Physica, Rio de Janeiro, n° 13, dez. 1937.

DOMINGUES, Octávio. A hereditariedade em face da educação. Bibliotheca de Educação. Vol. VI. São Paulo: Companhia Melhoramentos, 1929.

DRUCKER, Peter. As novas realidades. São Paulo: Pioneira, 1991.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do Poder. Organização, introdução e revisão técnica de Renato Machado. 26. ed. São Paulo: Graal, 2013.

FOUCAULT, Michel. Du gouvernement des vivants (1979-1980). Paris: EHESS; Gallimard; Seuil, 2012.

GADELHA, Sylvio. Biopolítica, governamentalidade e educação: introdução e conexões, a partir de Michel Foucault. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.

HARDT, Michael; NEGRI, Antônio. MULTIDÃO Guerra e democracia na era do Império. Tradução de Clóvis Marques. Revisão técnica de Giuseppe Cocco. 2. ed. Editora Record Rio de Janeiro – São Paulo, 2012.

HOBSBAWM, Eric John. A era dos impérios, 1875-1914. 6. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2001.

KEHL, Renato Ferraz. Eugenia e Medicina Social: Problemas da vida. Rio de Janeiro: Livraria Francisco Alves, 1920.

KEHL, Renato Ferraz. Lições de eugenia. Rio de Janeiro; Livraria Francisco Alves, 1929.

KEHL, Renato Ferraz. Aparas eugênicas: Sexo e Civilização. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1933.

KILPATRICK, William Heard. Educação para uma civilização em mudança. Tradução profa. Noemy S. Rudoulfer. – 16. ed. – São Paulo: Melhoramentos; [Rio de Janeiro]: Fundação Nacional de Material Escolar, 1978.

LAVAL, Christian. Governar pela crise democrática [entrevista]. Revista cult, [UOL] n. 219, ano 19, p. 22-28, jun. 2016. Disponível em: https://revistacult.uol.com.br/home/governar-pela-crise-democratica/. Acesso em 10 ago. 2018.

LIPOVETSKY, Gilles; SERROY, Jean. A estetização do mundo: viver na era do capitalismo artista. São Paulo: Companhia das Letras, 2015.

LÓPEZ-RUIZ, Osvaldo. Os executivos das transnacionais e o espírito do capitalismo: capital humano e empreendedorismo como valores sociais. Rio de Janeiro: Azougue Editora, 2007.

MANIFESTO DOS PIONEIROS DA EDUCAÇÃO NOVA. A reconstrução educacional no Brasil, 1932.

PIZOLATI, Audrei Rodrigo da Conceição; ALVES, Alexandre. Os debates sobre educação moral, conduta e caráter do indivíduo nas primeiras décadas do século XX e seus reflexos na atualidade. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos - RBEP/INEP. Brasília, v. 100, n. 256, p. 651-674, set./dez. 2019. DOI: https://doi.org/10.24109/2176-6681.rbep.100i256.4161.

PIZOLATI, Audrei Rodrigo da Conceição. A Influição do Discurso Neoliberal na Governamentalidade Pedagógica no Brasil Contemporâneo. Cocar, Belém, v. 14, n. 28, p. 521-540, jan./abr. 2020. Disponível em: https://periodicos.uepa.br/index.php/cocar/article/view/3136. Acesso em: 23 ago. 2021.

PIZOLATI, Audrei Rodrigo da Conceição. Educação, trabalho e deficiência na I Conferência Nacional de Educação (1927). Caminhos da História, Montes Claros, v. 26, n. 2, p. 189-205, jul./dez. 2021. Disponível em: https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/caminhosdahistoria/article/view/4358/4404. Acesso em: 23 ago. 2021.

PENNA, Belisário. POR QUE SE IMPÕE A PRIMAZIA DA EDUCAÇÃO HIGIÊNICA ESCOLAR. In: COSTA, Maria José Ferreira Franco da; SHENA, Denílson Roberto; SHIMIDT, Maria Auxiliadora. I Conferência Nacional de Educação. Brasília MEC SEDIAE/INEP IPARDES, 1997. p.29-32.

ROQUETTE-PINTO, Edgard. Ensaios de antropologia brasiliana. São Paulo: Cia. Editora Nacional, 1933 (“Biblioteca Pedagógica Brasileira”, série V, Coleção “Brasiliana”, vol. XXII).

ROQUETTE-PINTO, Edgard. Os fundamentos biológicos da sociologia. Jornal do Comércio. Rio de Janeiro: 25 mar., 1936.

SANTOS, Boaventura de Souza. A gramática do tempo: para uma nova cultura política. (coleção para um novo senso comum, v. 4). 3. ed. São Paulo: Cortez, 2010.

SILVA, Mozart Linhares da. Biopolítica, educação e eugenia no Brasil (1911-1945). Revista Ibero-Americana de estudos em educação. Araraquara, v. 8, n. 4, p. 900-922, out./dez. 2014. DOI: https://doi.org/10.21723/riaee.v8i4.5070

SILVA, Roberto Rafael Dias da. Emocionalização, algoritimizção e persoalizaçã dos itinerários formativos: como operam os dispositivos de customização curricular? Currículo sem Fronteiras, Porto Alegre, v. 17, n. 3, p. 699-717, set/dez. 2017. Disponível em: http://www.curriculosemfronteiras.org/vol17iss3articles/silva.pdf. Acesso em: 10 ago. 2018.

SILVA, Roberto Rafael Dias da. Estetização Pedagógica, Aprendizagens Ativas e Práticas Curriculares no Brasil. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 43, n. 2, p. 551-568, abr/jun 2018. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S2175-62362018000200551&script=sci_abstract&tlng=pt. Aceso em: 10 ago. 2018.

SILVEIRA, Alair Suzeti da. Estado do Bem-Estar Social e desfiliação social. Política & Sociedade, Florianópolis, v. 12, n. 23, jan./abr. 2013. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/politica/article/view/2175-7984.2013v12n24p145/25562. Acesso em: 23 ago. 2021.

SOMMER, Luis Henrique; SCHMIDT, Saraí. CRIANÇAS E JOVENS DO ENSINO FUNDAMENTAL: DISCUTINDO AS TENTAÇÕES DO DEUS CONSUMO. In: Educação no Brasil: o balanço de uma década. 33° REUNIÃO ANUAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓSGRADUAÇÃO E PESQUISA EM EDUCAÇÃO – ANPEd, 33, 2010, Caxambu/MG. Anais... ANPEd, 2010. Disponível em:

http://33reuniao.anped.org.br/33encontro/app/webroot/files/file/Trabalhos%20em%20PDF/GT13-6672--Res.pdf. Acesso em: 26 ago. 2021.

SOUZA, Vanderlei Sebastião de. Política biológica como projeto, a eugenia negativa e a construção da nacionalidade na trajetória de Kehl. 1917/1932. 2006. 220 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde) – Programa de Pós-Graduação em História das Ciências da Saúde da Casa de Oswaldo Cruz. Fiocruz, Rio de Janeiro, 2006. Disponível em: https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/6134. Acesso em: 23 ago. 2018.

STEPAN, Nancy Leys. A hora da Eugenia: raça, gênero e nação na América Latina. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2005.

TEIXEIRA, Anísio. Relatório da Inspetoria Geral do Ensino do Estado da Bahia, apresentado como Anuário do Ensino do Estado da Bahia. Salvador, 1925. Disponível em: http://www.fgv.br/cpdoc/acervo/arquivo-pessoal/AT/textual/relatorio-da-inspetoria-geral-do-ensino-do-estado-da-bahia-apresentado-como-anuario-do-ensino-do-estado-da-bahia-bahia. Acesso em: 16 jun. 2018.

TEPEDINO, Alexandre. Eugenia. Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro, 1914.

VEIGA-NETO, Alfredo. Governo ou Governamento. Currículo sem Fronteiras, Porto Alegre, v. 5, n. 2, p.79-85, jul/dez 2005. Disponível em: http://www.curriculosemfronteiras.org/vol5iss2articles/veiga-neto.pdf Acesso em: 08 set. 2018.

VEIGA-NETO, Alfredo. Foucault & a Educação. 3. ed. 1 reimp. – Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2014.

XAVIER, Lindolpho. NECESSIDADES DA PEDAGOGIA MODERNA. In: COSTA, Maria José Ferreira Franco da; SHENA, Denílson Roberto; SHIMIDT, Maria Auxiliadora. I CONFERÊNCIA NACIONAL DE EDUCAÇÃO. BRASÍLIA MEC SEDIAE/INEP IPARDES, 1997. p. 65-72.




DOI: https://doi.org/10.5585/eccos.n58.11137

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 EccoS – Revista Científica

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

EccoS – Revista Científica

e-ISSN: 1983-9278
ISSN: 1517-1949
www.revistaeccos.org.br

EccoS – Revista Científica ©2021 Todos os direitos reservados.

Esta obra está licenciada com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional