Por uma ética de integridade e produção de sentidos na atenção a adolescentes infratores

Márcia Alves Silva, Mirela Ribeiro Meira

Resumo


Resumo:Esse texto refere-se a uma investigação e extensão acadêmica interdisciplinar que vem sendo coordenada pelas autoras no Centro de Atendimento Socioeducativo (CASE) da cidade de Pelotas, no estado do Rio Grande do Sul, e que visa problematizar os processos pedagógicos, éticos e estéticos com adolescentes em regime de privação de liberdade. Este estudo origina-se no campo das Ciências Sociais e busca dialogar com a Arte e a Educação, na tentativa de compreender a realidade da proteção especial a adolescentes no país. A proposta metodológica adotada abarca o universo das histórias de vida. Nossa intenção é captar as narrativas que visibilizam as histórias de vida dos jovens, a partir da organização e da gravação de encontros coletivos com os adolescentes abrigados. Nossa intervenção aposta nas Oficinas de Criação Coletiva como desencadeadoras de uma nova ética de dignificação da vida, onde as produções deflagram o contexto do grupo, a nível de expressão, visto que as oficinas podem constituir um “texto” impregnado de significações e de sentidos que não podem ser desprezados enquanto fonte de dados.

Palavras-chave


Juventude; cidadania; abrigamento

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/eccos.n34.4157

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais



EccoS – Revista Científica

e-ISSN: 1983-9278
ISSN: 1517-1949
www.revistaeccos.org.br

EccoS – Revista Científica ©2021 Todos os direitos reservados.

Esta obra está licenciada com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional