Chamada de artigos 3

Crise socioambiental, emergência e (in)sustentabilidade


Editores Convidados:

Prof. Dr. José Gomes Ferreira

Prof. Dr. Fábio Fonseca Figueiredo

Profa. Dra. Raquel Maria da Costa Silveira

 

Submissão de artigos a partir de maio 2022 com prazo final de envio até 31/12/2022 – Informações acesse: aqui.

 

Escopo

Desde o final da década de 1960, a temática socioambiental tem marcado a agenda pública como um dos mais importantes temas a serem enfrentados pelas sociedades modernas, afetando tanto as de capitalismo tardio como as que manifestam melhores índices de desenvolvimento, porém, repercutindo-se de forma desigual. A questão ambiental tem sido um importante elemento na composição das políticas públicas dos estados nacionais, assim como da mobilização social e do modelo produtivo face ao capitalismo dominante.

O debate proposto nos quatro grandes encontros internacionais promovidas pelas Nações Unidas (da Conferência de Estocolmo 1972 à Rio + 20, em 2012) apontaram para uma nova ordem ambiental internacional, capaz de garantir o desenvolvimento das atividades econômicas ao mesmo tempo em que observa o respeito pelos valores ambientais em uma sociedade cada vez mais globalizada e, ainda, de caminhar no sentido de diminuir as desigualdades entre as populações mais ricas e as mais pobres. Nesse sentido tem se desenvolvido o trabalho das agências da ONU vinculadas às temáticas de meio ambiente, desenvolvimento, alimentação e recursos naturais.

O debate tem, igualmente, suscitado várias propostas que antecipam a resposta a problemas futuros e no sentido de tornar as sociedades mais resilientes. Contudo, apesar da entrada do tema na agenda internacional há algumas décadas, a resolução do problema e o seu entendimento a partir de uma lógica que interconecta fenômenos e atores em um contexto global tem avançado pouco e mostra sinais de claro agravamento. O debate atual tem encontrado razões de preocupação na mudança climática, aumento do consumo, novos riscos, soberania energética e acesso desigual à água. O que é certo é a escala exponencial dos problemas ambientais e a degradação das condições de existência de comunidades mais expostas.

A dimensão cultural e das Políticas Públicas não têm sido devidamente levadas em conta nos mesmos ritmos em que avançam os danos ambientais. A tecnologia, que, em regra, potencializa soluções, tem sido potencializadora do risco de desastres ambientais provocados pela intensidade e complexidade dos novos problemas e aumento de escala de abrangência. Como resultados da intensa pressão exercida pelos hábitos de consumo e processos de produção, a intervenção sobre o meio ambiente tem provocado maior depleção dos estratos naturais do planeta e aumentado a quantidade de rejeitos poluentes, largados sem qualquer tratamento, o que tem consequências imediatas nos ecossistemas e nas populações social e economicamente mais vulneráveis dos países.

Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável – ODS - reafirmaram o tema na agenda de governança global, porém, os avanços concretos têm sido poucos e o foco tende a privilegiar a cidadania. Além disso, não se pode esquecer a falta de cumprimento de alguns países e municípios no sentido de se atingir as metas previstas para 2030. Autores como Bruno Latour afirmaram, no início da Pandemia, que a solução está ao nosso alcance e que, como defendido pelos movimentos ambientalistas, é possível alterar o modelo de desenvolvimento baseado na rápida exploração dos recursos naturais e geração de dano para o meio natural. A quarentena mostrou que é possível parar de um momento para o outro e inverter a intensidade de exploração de recursos e impacto no ambiente, mas é necessária vontade política e sensibilização do cidadão.

Para este número especial à Revista de Gestão Ambiental e Sustentabilidade, pretende-se publicar artigos inéditos que analisam e debatem a temática socioambiental com base no eixo Ambiente e Sociedade, Sociedade e Políticas Públicas Ambientais, em nível local, nacional e internacional. Como assuntos específicos, serão aceitos trabalhos que abordem temáticas tais como:

1 - Globalização, crise socioambiental e mudança climática

2 - Política ambiental internacional e agenda pública

3 - Energias renováveis, desenvolvimento e sustentabilidade

4 - Vulnerabilidade socioambiental, risco e dano

5 - Política e gestão de resíduos sólidos (em nível estadual, municipal, e / ou metropolitano);

6 - Água, direitos humanos, conflitos e desigualdades

7 - Propostas para cidades sustentáveis

 

Sobre os Editores


Prof. Dr. José Gomes Ferreira: Docente no Programa de Pós-Graduação em Estudos Urbanos e Regionais - PPEUR/UFRN. Doutor em Sociologia pelo Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa. Mestre Comunicação, Cultura e Tecnologias de Informação pelo ISCTE - Instituto Universitário de Lisboa. Graduação em Sociologia também pelo ISCTE. CV: http://lattes.cnpq.br/8740764604882277.

 

Prof. Dr. Fábio Fonseca Figueiredo: Docente do Programa de Pós-Graduação em Estudos Urbanos e Regionais - PPEUR/UFRN. Doutor em Geografia pela Universidad de Barcelona. DEA (mestrado) em Ordenamiento Territorial y planeamiento medioambiental pela Universidad de Barcelona. Mestre em Educação Brasileira pela Universidade Federal do Ceará. Bacharel em Ciências Econômicas pela UFRN.CV: http://lattes.cnpq.br/3895306086709129.

 

Profa. Dra. Raquel Maria da Costa Silveira: Docente no Programa de Pós-Graduação em Estudos Urbanos e Regionais - PPEUR/UFRN - Doutora em Ciências Sociais pela UFRN. Mestre em Estudos Urbanos e Regionais pela UFRN. Graduação em Gestão de Políticas Públicas pela UFRN e Direito pelo Centro Universitário do Rio Grande do Norte. CV: http://lattes.cnpq.br/8919649299739496.

 

Equipe editorial

Dra. Andreza Portella Ribeiro - Editora-Chefe

Dr. João Alexandre Paschoalin Filho - Editor Adjunto

Dra. Cintia de Castro Marino - Editora Adjunto

MSc. Cristiane Criscibene Pantaleão - Editora Associada

MSc. Donizete Ferreira Beck - Editor Associado

MSc. Juliana Rodrigues Maróstica - Editora Associada

MSc. Leonardo Ferreira da Silva - Editor Associado

MSc. Marco Antonio Casadei Teixeira - Editor Associado

MSc. Maria Santiellas Costa Rodrigues - Editora Associada

Cristiane dos Santos Monteiro - Bibliotecária

Gabryela Medeiros - Assistente editorial

revistageas@uninove.br