Interferência do empresariado na implementação de políticas públicas educacionais: o caso do Programa Ensino Médio Inovador/Jovem de Futuro no estado do Pará

Keline Rodrigues Araujo

Resumo


O presente artigo é uma premissa da temática a ser abordada na dissertação de mestrado, do Programa de Pós-Graduação em Currículo e Gestão da Escola Básica da Universidade Federal do Pará. Objetiva-se com esse estudo identificar como o Instituto Unibanco direcionou a implementação do Programa Ensino Médio Inovador/Jovem de Futuro no estado do Pará a partir de um modelo de gestão desenvolvido pelas empresas privadas. Assim, será empreendido uma análise do percurso realizado pelo Comitê Gestor do Programa, durante o ano de 2013 a 2014, período em que a pesquisadora desenvolveu a função de Coordenadora da política no estado. A partir do estudo realizado inferimos que as empresas privadas engessam a autonomia da escola ao impor um modelo de gestão por resultados.

Palavras-chave


Educação; Políticas Públicas; Gestão por Resultados

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Programa Ensino Médio Inovador – Documento Orientador 2014. Disponível em . Acesso em: 14 de dez. 2018, 16h10.

BRASIL. Ministério da Administração Federal e da Reforma do Estado. Plano Diretor da Reforma do Aparelho do Estado. Brasília, DF: Imprensa Nacional, 1995.

ESTEVÃO, Carlos Vilar. A qualidade da Educação: suas implicações na política e na gestão pedagógica. RBPAE – v.29, n.1, p.15-26, jan./abr. 2013.

FRIGOTTO, Gaudêncio. Educação e a crise do Capitalismo real. 6. ed. São Paulo: Cortez, 2010.

INSTITUTO UNIBANCO. Relatório de atividades (2011). São Paulo: Instituto Unibanco, 2007. Disponível em: https://www.institutounibanco.org.br/relatoriodeatividades/IU_2011. Acesso em: 15 de dezembro de 2018, 14h.

JUNIOR, Gilberto Nogara. O Programa Ensino Médio Inovador (ProEMI) no contexto das políticas do Banco Mundial (BM): rumo a formação de trabalhadores de novo tipo? 2015. 218 f. Dissertação (Mestrado em Trabalho e Educação) – Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Florianópolis.

LIMA, Licínio. A Escola como Organização Educativa: uma abordagem sociológica. São Paulo: Cortez, 2001.

NOSELLA, Paolo. A escola de Gramsci. 4. ed. – São Paulo:Cortez,2010.

NOVAES, Ivan Luiz e FIALHO; Nadia Hage. Descentralização educacional: caraterísticas e perspectivas. RBPAE – v.26, n.3, p.585-602, set./dez. 2010.

PERONI, Vera Maria Vidal. Mudanças na configuração do Estado e sua influência na política educacional. In. PERONI, V.M.V., BAZZO, V.L.,

PEGORARO, L. (org.) Dilemas da educação brasileira em tempos de globalização neoliberal: entre o público e o privado. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2006.

SHIROMA, Eneida Oto; GARCIA, Rosalba Maria Cardoso; CAMPOS, Roselane Fátima. Conversão das “almas” pela liturgia da palavra: uma análise do discurso do movimento Todos pela Educação. In: BALL, Stephen J.; MAINARDES, Jefferson (orgs.). Políticas Educacionais: questões e dilemas. São Paulo: Cortez, 2011.

UNICEF. Declaração Mundial sobre Educação para Todos (Conferência de Jomtien – 1990). https://www.unicef.org/brazil/pt/resources_10230.htm




DOI: https://doi.org/10.5585/cpg.v18n1.13166

Direitos autorais 2019 Cadernos de Pós-graduação

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Cadernos de Pós-graduação
ISSN da versão online: 2525-3514
www.cadernosdepos.org.br

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.