Análise do discuro na formação em serviço do gestores escolares

Marcelo do Nascimento, Alessandro Luiz de Oliveira, Rachel Duarte Abdala

Resumo


O presente artigo destinou-se a descrever analises a partir de processo investigativo sobre a mediação epistemológica de um Programa de Formação em Serviço oferecido a gestores escolares de um município do Vale do Paraíba Paulista. Os objetivos propostos foram reconstituir a estrutura metodológica do referido Programa, identificar a linha epistemológica adotada e, por fim, identificar e analisar os discursos dos gestores escolares e formadores institucionais, e por quais políticas e ideologias estão constituídos estes discursos. Para este fim, utilizamos como instrumentos a análise documental e entrevistas a partir da História Oral, e Análise do Discurso segundo Eni Orlandi e Michael Foucault. Mobilizamos os campos epistemológicos de administração e gestão, gestão escolar, gestão democrática, função social da escola, qualidade e formação em serviço.  Como resultado observamos um discurso estritamente alinhado com a política de gestão pública gerencial e economicista e uma ruptura epistemológica entre os campos técnico e político da Gestão Escolar.


Palavras-chave


Formação em serviço. Gestão Escolar. Política

Texto completo:

pdf

Referências


BALL, S. J. Performatividades e Fabricações na Economia Educacional: rumo a uma sociedade performativa. Educação e Realidade. V. 35, N.2. Maio/agosto. 2010.

Disponível em: http://seer.ufrgs.br/index.php/educacaoerealidade/article/view/15865/9445.

BARROS, T.H. Uma trajetória da Arquivística a partir da Análise do Discurso: inflexões histórico-conceituais [online]. São Paulo: Editora UNESP; São Paulo: Cultura Acadêmica, 2015.

BECKER, F. O sujeito do conhecimento: Contribuições da epistemologia genética. Educação E Realidade. Janeiro/Junho. 1999.

Disponível em: file:///C:/Users/Marcelo/Downloads/55807-228025-1-PB%20(1).pdf.

BIEST, G. Boa educação na era da mensuração. Artigo inicialmente publicado em Educational Assessment, Evaluation and Accountability - v. 21, n. 1, p. 33-46, fev. 2009.

BRASIL. Senado Federal. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional: nº 9394/96. Brasília: 1996.

__________ Guia referencial para medição de desempenho e manual para construção de indicadores. Secretaria de Estão Pública. Ministério do Planejamento. Governo Federal. 2009.

Disponível em:

http://www.gespublica.gov.br/sites/default/files/documentos/guia_indicadores_jun2010.pdf.

__________ BRASIL. Manual de Orientação para Gestão de Desempenho. Secretaria de Gestão Pública. Ministério do Planejamento. Governo Federal. 2013.

Disponível em: http://www.planejamento.gov.br/assuntos/gestao-publica/arquivos-epublicacoes/manual_orientacao_para_gestao_desempenho.pdf/view.

__________Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Disponível em: http://www.gespublica.gov.br/sites/default/files/documentos/guia_indicadores_jun2010.pdf.

BRESSER-PEREIRA, L. C. Burocracia pública na construção do brasil. Revista de Sociologia e Política, 2007, n. 28: 9-30.

FOUCAULT, M. A ordem do discurso: aula inaugural no Collège de France, pronunciada em 2 de dezembro de 1970. Campinas: Loyola, 1996.

GATTI. B. A. Formação continuada de professores: a questão psicossocial. Cadernos de Pesquisa, n. 119, p. 191-204, julho/ 2003.

Disponível em: http://www.scielo.com.br/pdf/cp/n119/n119a10.pdf. Acesso em 25 de ago de 2017.

GESTÃO E NEGÓCIOS. Planejamento estratégico. Acesso em 2018.

Disponível: https://pt.scribd.com/document/356133340/Planejamento-Estrategico-QI-pdf

GREGOLIN, M.R.V. A análise do discurso: conceitos e aplicações. Alfa: São Paulo. 39: 13-21,1995.

ICHIKAWA, E. Y. O grupo de estudos organizacionais. Uma história entre outras histórias. Revista de Estudos Organizacionais e Sociedade. Núcleo de Estudos Organizacionais e Sociedade. FACE/UFMG. Belo Horizonte. N.1. Junho. 2004.

__________ E. Y.; SANTOS, L. W. Contribuições da história oral à pesquisa organizacional. In: SILVA, A. B.; GODOI, C. K.; MELLO, R. B. (Org.). Pesquisa qualitativa em estudos organizacionais: paradigmas, estratégias e métodos. São Paulo: Saraiva, 2006. p. 185-209.

INDICADORES SOCIAIS: PASSADO, PRESENTE E FUTURO/ IBGE, Gerência de Biblioteca e Acervos Especiais. Organizado por André Simões e Antônio Carlos Alckmin. - Rio de Janeiro: IBGE, 2017.

INDICADORES DA QUALIDADE NA EDUCAÇÃO / Ação Educativa, UNICEF, PNUD, INEP, SEB/MEC (coordenadores) – São Paulo: Ação Educativa, 2013, 4ª edição ampliada p. 92.

LIBÂNEO. J. C. Organização e Gestão da Escola: teoria e Prática. Revisada e Ampliada. 6. Ed. São Paulo: Heccus Editora. 2017.

LIMA, L. C. A gestão democrática das escolas: do autogoverno à ascensão de uma pós-democracia gestionária? Educ. Soc., Campinas, v. 35, nº. 129, p. 1067-1083, out.-dez., 2014.

LÜCK. H. A evolução da gestão educacional a partir de mudança paradigmática. CEDHAP - Centro de desenvolvimento humano aplicado. Revista gestão em rede, no. 03, nov, 1997, p. 13-18.

__________H. Aplicação do planejamento estratégico na escola. Revista Gestão Em Rede, no. 19, abril, 2000, p. 8-13.

__________H. Dimensões de gestão escolar e suas competências. Curitiba, SC: Positivo, 2009.

__________H. Avaliação e Monitoramento do Trabalho Educacional, Série Cadernos de Gestão. Petrópolis, RJ: Vozes. 2013.

MACEDO, E. Base Nacional Curricular Comum: a falsa oposição entre conhecimento para fazer algo e conhecimento em si. Educação em Revista. Belo Horizonte. V.32. nº 02.p. 45-67. Abril-Junho 2016.

Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S01026982016000200045&script=sci_abstract&tlng=pt

MATOS, J. S. SENNA, A.K. História oral como fonte: problemas e métodos. História/E, Rio Grande, 2 (1): 95-108, 2011.

Disponível em: http://www.seer.furg.br/hist/article/view/2395/1286. Acesso em 05 de jan de 2018.

MEIIHY, J. C. Definindo história oral e memória. Cadernos CERU – Nº 5 – Série 2 – 1994.

MEIIHY, J. C. Os novos rumos da história oral: o caso brasileiro. Revista de História 155. 2º. 2006. 191-203.

MORAIS, P. T. Apontamentos sobre a história oral como técnica, método e metodologia de pesquisa. Relevâncias – Revista de Geografia. São Paulo. Ano 1. nº 1. Jan./jun de 2016.

ORLANDI. E. P. Discurso, imaginário social e conhecimento. Em Aberto, Brasília, ano 14, n.61, jan./mar. 1994.

__________ E.P. Análise de Discurso: princípios e procedimentos. Campinas (SP): Pontes; 1999.

__________E. P. Análise de Discurso – Princípios & Procedimentos. 3 ed. São Paulo: Pontes, 2001.

__________ E. P. Michael Pêcheux e análise do discurso. Estudos de Linguagem. Vitória da Conquista. nº 1. P.9-13. Junho. 2005.

PARO, V. H. A educação, a política e a administração: reflexões sobre a prática do diretor de escola. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 36, n.3, p. 763-778, set./dez. 2010.

_______V. H. Diretor Escolar: gerente ou educador? São Paulo: Cortez, 2015.

RIOS, T. A. A educação que queremos: projeto político-pedagógico. Seminário de Atualização Didático-Pedagógica. PROGRAD-CADIPE- Universidade de São Francisco. Bragança Paulista, EDUSF. Secretaria Municipal da Educação de Piracicaba, maio de 2001.

RIOS, T. A. Ética e competência. 20.ed. São Paulo: Cortez, 2009.

SANTAGADA. S. Indicadores sociais: Contexto social e breve histórico. Revistas FEE. v. 20, n. 4.1993. Disponível em:

https://revistas.fee.tche.br/index.php/indicadores/article/view/758/1013.

SAVIANI, D. Educação, do senso comum à consciência filosófica. 12º ed. São Paulo: Autores associados, 1980.

SHULMAN, L.S. Conhecimento e ensino: fundamentos para a nova reforma. Cadernos Cenpec. São Paulo. v.4 . n.2 . p.196-229 , dez. 2014.

SILVA JÚNIOR, C. A. A escola pública como local de trabalho. São Paulo: Cortez: Autores Associados. 1990.

VASCONCELLOS FILHO, P. Afinal, o que é planejamento estratégico? Rev. Adm. Empres. vol.18 no.2 São Paulo Apr./June 1978.

Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0034-75901978000200002.

ZOPPA, A. Projetos, Sub-projetos, Programas e Portfólios – como diferencia-los e entendê-los. Revista PMKB. 06/11/2017.

Disponível em: https://pmkb.com.br/artigos/projetos-sub-projetos-programas-e-portfolios-2/




DOI: https://doi.org/10.5585/cpg.v18n2.14468

Direitos autorais 2019 Cadernos de Pós-graduação

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Cadernos de Pós-graduação
e-ISSN: 2525-3514
www.cadernosdepos.org.br

Cadernos de Pós-graduação ©2020 Todos os direitos reservados.