A criança e a relação com a temporalidade e a busca de estratégias próprias para a compreensão do tempo por meio da fotografia

Eduardo Arriada, Gabriela Medeiros Nogueira, Rita de Cássia Grecco dos Santos

Resumo


Os autores problematizam, por meio deste artigo, a articulação de estratégias construídas pelos alunos da Educação Infantil do Colégio São José, na cidade de Pelotas/RS – crianças entre cinco e seis anos de idade –, para lidar com a noção de tempo em seu cotidiano. Com base na compreensão dos tempos físico, subjetivo e socialmente construído, buscamos apreender a lógica que as crianças utilizam na construção das estratégias para a percepção do tempo, por meio da pesquisa de uma atividade com fotografias, engendrada em antigas praças da cidade – estabelecendo-se um paralelo entre o ontem e o hoje desses cenários urbanos – e nas narrativas daí decorrentes.

Palavras-chave


Crianças. Educação infantil. Fotografia. Narrativa. Noção de tempo.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/dialogia.v7i1.1025

Direitos autorais



Dialogia

ISSN da versão online: 1983-9294
ISSN da versão impressa: 1677-1303
www.revistadialogia.org.br

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.