Transtornos da micção: como identificar, prevenir e abordar em sala de aula

Cláudia Maria Silva, Carlos Alberto Sanches Pereira, Ana Paula Cunha Pereira, Lucas Peres Guimarães

Resumo


Os distúrbios miccionais tem prevalência de 20% entre as crianças em idade escolar mas ainda são pouco conhecidos por profissionais de educação. Os relatos na literatura de desconhecimento do assunto por parte dos docentes, impulsiona a criação de estratégias para transmissão destas informações. Partindo da hipótese que, este aprendizado pode estimular a adoção de hábitos vesicais e intestinais mais saudáveis nas escolas e que, professores informados conduzirão melhor situações criadas pelos distúrbios miccionais, elaboramos uma cartilha voltada para professores do primeiro segmento do Ensino Fundamental, cuja discussão engloba a fisiologia da micção e seus principais desvios. A metodologia foi qualitativa e quantitativa e uso de um questionário fechado, aplicado antes e após a apresentação da cartilha. Identificamos mudanças em relação ao conhecimento alcançado pelos professores participantes a respeito do tema ‘promoção da saúde na escola’.


Texto completo:

pdf


DOI: https://doi.org/10.5585/dialogia.N33.15823

Direitos autorais 2019 Dialogia

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Dialogia

e-ISSN: 1983-9294
ISSN: 1677-1303
www.revistadialogia.org.br

Dialogia ©2020 Todos os direitos reservados.