Do planejamento a prática docente: relato de implantação do Programa Mais Educação em uma cidade do oeste Catarinense

Marineiva Campos de Oliveira, Anderson Luiz Tedesco, Elcio Cecchetti

Resumo


O objetivo desta reflexão é apresentar o processo de implantação do Programa Mais Educação em um município do Oeste Catarinense. No decorrer do relato, descreve-se a importância do planejamento das práticas dos educadores do Programa Mais Educação, com foco na participação coletiva e na formação continuada. Nesse intuito, para uma contribuição relevante, foram entrevistados três monitores do Programa Mais Educação e dois professores da escola que atendem os alunos do Ensino Fundamental da escola da Rede Municipal, localizada do Oeste Catarinense. Os resultados mostram que os professores entrevistados relacionam a formação continuada com o planejamento coletivo na atuação escolar, considerando-a de fundamental importância para a construção de suas práticas. Conclui-se que, será possível constatar que boas práticas docentes só são realizadas se planejadas, e melhoradas se forem planejadas no coletivo, e que é necessária formação continuada focada na Educação Integral para que atenda aos anseios dos professores.


Palavras-chave


Formação Continuada; Planejamento; Práticas; Programa Mais Educação

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Benedita de. Formação continuada de professores e escrita: pontos de ancoragem. In: ______. A escrita na formação continuada de professoras alfabetizadoras: práticas de autoria. 2007. 251f. Tese (Doutorado) - Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007.

BAKHTIN, Mikhail. A interação verbal. In: ______. BAKHTIN, Mikhail (Volochinov). Marxismo e filosofia da linguagem. 9. ed. Trad.Michel Lahud. São Paulo: Hucitec Annablume, 2002.

BRASIL. Câmara dos Deputados. Portaria interministerial nº 17/2007. Câmara dos Deputados. Brasília, 2007.

BRASLAVSKY, Berta. Marcos Referenciais. In: _________. Escola e Alfabetização: uma perspectiva didática. Trad. Vera Masagão Ribeiro. São Paulo: UNESP, 1993.

BRZEZINSKI, Iria. Políticas contemporâneas de formação de professores para os anos iniciais do ensino fundamental. Educ. Soc., Campinas, vol. 29, n. 105, p. 1139-1166, set./dez. 2008. Disponível em Acesso em 30/05/2013.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

LIBÂNEO, José Carlos. Didática. São Paulo. Editora Cortez, 1994.

MIZUKAMI, M. G. N. REALI, A . M. M. R.(orgs) Formação de professores, práticas pedagógicas e escola. São Carlos: EdUFSCar, 2002.

MOLL, Jaqueline. Ciclos na escola e tempos na vida. Porto Alegre: Artmed, 2004.

POPKEWITZ, Thomas S. Reforma educacional: uma política socio- lógica B poder e conhecimento em educação. Trad. Beatriz Afonso Neves. Porto Alegre, Artes Médicas, 1997.

SACRISTÁN, J. Gimeno. Consciência e ação sobre a prática como libertação profissional dos professores. In NÓVOA, António. Profissão professor. Porto Editora, 1995.

STRIEDER, Roque. Diretrizes para elaboração de projetos de pesquisa: metodologia do trabalho científico. Joaçaba: Ed. Unoesc, 2009.

VASCONCELLOS, Celso dos Santos. Planejamento projeto de ensino-aprendizagem e projeto político-pedagógico. São Paulo: Cadernos Pedagógicos do Libertad, 2000.

ZABALA, A. A prática educativa: como ensinar. Porto Alegre: ARTMED, 1998.

ZANON, D.P.; ATHAUS, M.T.M. Didática II. Ponta Grossa: UEPG/NUEAD, 2010.




DOI: https://doi.org/10.5585/dialogia.n34.16298

Direitos autorais 2020 Dialogia

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Dialogia

e-ISSN: 1983-9294
ISSN: 1677-1303
www.revistadialogia.org.br

Dialogia ©2020 Todos os direitos reservados.