Bases transformacionais para um novo paradigma do não matar

Joám Evans Pim

Resumo


O termo “não matar”, como apresentado por Paige (2002; 2009), faz referência a uma sociedade onde as mortes intencionais, ameaças de morte intencional e condições que possam levar a mortes intencionais estejam ausentes. Este marco descreve uma transformação profunda para a superação das premissas e presunções sociais fortemente arraigadas na aceitação generalizada da letalidade (em todas as suas formas), assim como a refutação da ciência majoritária que aceita a letalidade, desde as ciências biológicas até as humanidades. O não matar propõe um câmbio de paradigma total (seguindo a Kuhn, 1962), com novos princípios, nova linguagem, novos valores, novos critérios metodológicos e novas ferramentas para a análise dos problemas de pesquisa. Este trabalho apresenta esta nova perspectiva e os fundamentos para a transformação empírica e normativa para um outro paradigma que ela traz associada.

Palavras-chave


Não matar; Mudanças de paradigma; Revoluções científicas; Glenn D. Paige; Thomas Kuhn.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/dialogia.v8i2.1702

Direitos autorais



Dialogia

e-ISSN: 1983-9294
ISSN: 1677-1303
www.revistadialogia.org.br

Dialogia ©2020 Todos os direitos reservados.