Transmissão de conhecimento ou experiência no ensino da filosofia: limites e possibilidades

Manoela Paiva Menezes, Patrick Viana

Resumo


Este artigo pretende analisar o ensino de filosofia através da seguinte problematização: é possível uma forma de “ensinar filosofia”, “ensinar a filosofar”, ou então uma forma de “experienciar a filosofia” que não seja mediada por uma transmissão teórica tradicional de conhecimentos? Para descobrir algumas possibilidades e limites em que tal problematização nos conduziria, estabelecemos uma parceria com uma instituição educacional não regida pelo imperativo institucional de cumprimento de conteúdos específicos, conhecida como Projeto Barracão. Assim, foram realizadas visitas semanais ao Projeto e reuniões de embasamento teórico tendo como base os livros Pedagogía de la presencia, de Fernando Bárcena, O mestre ignorante, de Jacques Rancière e Tecnologías del yo, de Michel Foucault. Durante as visitas, a postura foi um “estar presente” (baseado em Bárcena), sem interferência hierárquica (Rancière), durante as atividades, buscando estabelecer uma relação de cuidado de si e cuidado do outro (Foucault).

Palavras-chave


cuidado; ensino; filosofia;

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/dialogia.N15.2750

Direitos autorais



Dialogia

e-ISSN: 1983-9294
ISSN: 1677-1303
www.revistadialogia.org.br

Dialogia ©2020 Todos os direitos reservados.