Escola e o diálogo sobre corporeidade e educação sexual

Andreza Marquês de Castro Leão, Cassiano Ferreira Inforsato, Gabriella Rossetti Ferreira

Resumo


A proposta desse trabalho é propiciar aos profissionais da educação um refletir referente à forma de como o corpo vem sendo visto e tratado na escola. Para a Corporeidade e a Educação Sexual o corpo e o movimento por ele realizado tem recebido um novo tratamento no nosso tempo, superando a visão dicotômica e mecanicista herdada do paradigma estruturado por Newton e Descartes e predominante nos últimos séculos. Sabemos que essas mudanças são consequências do surgimento da AIDS e do avanço da incidência da gravidez não desejada entre jovens em idade escolar. Sendo assim, essa discussão vem reforçar a necessidade de capacitação do professor na promoção de discussões sobre sexualidade e corporeidade com enfoque mais amplo, dialogado, seja traçado caminhos para abordar os aspectos biopsicossociais a partir de uma contextualização sócio-histórica, da equidade entre os gêneros, o respeito à diversidade sexual, a diminuição de preconceitos e a violência contra as chamadas “minorias” sexuais.


Palavras-chave


Escola; Corporeidade; Educação Sexual.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/dialogia.N20.4876

Direitos autorais



Dialogia

ISSN da versão online: 1983-9294
ISSN da versão impressa: 1677-1303
www.revistadialogia.org.br

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.