Ensino médio e educação profissional em agroecologia no movimento social popular do campo no Paraná

Rosana Vasconcelos Vito, Aparecida do Carmo Lima

Resumo


 O presente estudo teve por objetivo abordar as práticas educativas em Agroecologiano Movimento Sem Terra no estado do Paraná (MST), como parte da construção da política deeducação profissional tecnológica no campo. O estudo situa-se no campo das ações coletivasrealizadas pelos trabalhadores na luta por políticas públicas de educação na reforma agráriae na educação do campo. Analisamos a existência de coerência teórica na materialização daspráticas como processo de formação humana na perspectiva da transformação social, e se essamantém vínculo com a proposta de ensino médio integrado à educação profissional tecnológicadefendida pela classe trabalhadora. Nessa perspectiva, entendemos a educação nas áreas dereforma agrária e a educação do campo, como parte do projeto da agricultura camponesa, queatualmente têm sido incorporadas à Agroecologia no território camponês, que vem enfrentandocontradições profundas neste momento de crise estrutural do capitalismo.

 


Palavras-chave


Ensino médio. Formação e Agroecologia. Educação profissional do campo

Texto completo:

PDF PDF PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/dialogia.N23.6361

Direitos autorais



Dialogia

ISSN da versão online: 1983-9294
ISSN da versão impressa: 1677-1303
www.revistadialogia.org.br

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.