O papel do diário dialogado na formação de professores de línguas

Sandra Maria Araujo Dias, Francisco Everlandio de Oliveira Silva, Agápito Pereira Tôrres Neto

Resumo


A formação de professores, seja ela inicial ou continuada, tem sido objeto de estudo por várias décadas. No entanto, só recentemente que esses estudos (MEDRADO, 2016) apontam para a necessidade de implementação de práticas de letramentos como forma de promover a (auto)formação participativa. Nesse sentido, esta pesquisa tem como objetivo geral investigar o papel do diário dialogado no processo de letramento e formação (inicial e/ou continuada) de professores de línguas. Com base nos estudos referentes à formação de professores (MACHADO, 2004; MINATI, 2002), diários de aulas (REICHMANN, 2001; ZABALZA, 2004), letramento e identidade docente (KLEIMAN, 2007; TÁPIAS-OLIVEIRA, 2004), identificaremos marcas linguísticas no discurso de professores que revelam aspectos sobre letramento e questões identitárias relativas à docência. Os resultados sugerem que o diário dialogado constitui-se como uma prática de letramento fundamental para a formação, visto que possibilita (inter)ação, colaboração e (re)construção da identidade docente.


Palavras-chave


Letramento; Identidade;diário dialogado

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/dialogia.N26.6699

Direitos autorais



Dialogia

ISSN da versão online: 1983-9294
ISSN da versão impressa: 1677-1303
www.revistadialogia.org.br

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.