Um futuro para a escola: experiências híbridas num mundo complexo

Patrícia Fonseca Fanaya

Resumo


O pensamento disjuntivo nasceu com a formulação cartesiana do res cogitans e res extensa e foi institucionalizado pelo dualismo moderno tanto na filosofia quanto na ciência, deixando como legado o isolamento radical dos saberes. É esse dualismo que ainda está na base do modelo de educação adotado hoje, em pleno século XXI, num mundo no qual a complexidade só cresce, e a experiência humana com a assim chamada realidade está se hibridizando. O objetivo deste artigo é discutir qual é o espaço de mudança que existe a partir dessa concepção de mundo ordeiro, previsível e estável; e, ainda, no que tange especificamente ao tema escola-sociedade, apontar como é possível transformar essa relação a fim de que ela se torne mais significativa no contexto hipercomplexo em que vivemos.

Palavras-chave


Dualismo; Complexidade; Hibridismo; Experiência; Educação

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/dialogia.N27.7822

Direitos autorais



Dialogia

ISSN da versão online: 1983-9294
ISSN da versão impressa: 1677-1303
www.revistadialogia.org.br

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.