Literatura carcerária: educação social por meio da Educação, da escrita e da leitura na prisão

Roberto da Silva, Thais Barbosa Passos, Marineila Aparecida Marques

Resumo


O artigo, que trata de problema de pesquisa investigado pelo GEPÊPRIVAÇÃO e seus pesquisadores, com orientação do Prof. Dr. Roberto da Silva, na Faculdade de Educação da USP, visa a caracterização da literatura carcerária desenvolvida sob a égide da alfabetização de adultos e da recente regulamentação da Educação em Prisões, considerando as transformações e adaptações ao longo dos tempos. Além da discussão teórica e conceitual, o artigo apresenta, a título de exemplo, livros escritos por presos e presas, agentes penitenciários, professores e juízes como a nova dimensão dessa literatura carcerária. O artigo recorre à Teoria do Reconhecimento, de Axel Honneth, e à literatura de testemunho, de Márcio Seligmann-Silva, para embasar seus argumentos.

Palavras-chave


Cartas-Denúncia. Educação Prisional. Literatura Carcerária. Literatura de Testemunho. Teoria do Reconhecimento.

Texto completo:

PDF

Referências


AGAMBEN, G. O que resta de Auschwitz: o arquivo e o testemunho (Homo Sacer III). São Paulo: Boitempo Editorial, 2008. 175 p.

BRASIL. Ministério da Justiça. Departamento Penitenciário Nacional. Convocação nº 01/2017. Projeto BRA/14/011. Fortalecimento da Gestão Prisional no Brasil. Brasília, DF, 2017.

BRASIL. Ministério da Justiça e Segurança Pública. Portaria nº 5, de 4 de Janeiro de 2018. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília, DF, 2018,| Edição 5, Seção 1, p. 18-19-25.

ESTADO DE SÃO PAULO. Arquivo do Estado. Decreto nº 48.897, de 27 de agosto de 2004. Dispõe sobre os Arquivos Públicos, os documentos de arquivo e sua gestão, os Planos de Classificação e a Tabela de Temporalidade de Documentos da Administração Pública do Estado de São Paulo, define normas para a avaliação, guarda e eliminação de documentos de arquivo e dá providências correlata.

HONNETH, A. Luta por reconhecimento: a gramática moral dos conflitos sociais. Trad.: Luis Repa. São Paulo: Ed. 34, 2003.

MOREIRA, F. A.; SILVA, R. da. Ações de incentivo à leitura e formação de leitores em estabelecimentos prisionais do Brasil: desafios e oportunidades. In: IV Congresso internacional de pedagogia social, 4., 2012, São Paulo. Proceedings online... Associação Brasileira de Educadores Sociais, Available from: . Acess on: 17 Jan. 2019.

PIRES, T. R. O.; FREITAS, F. (Org.). Vozes do Cárcere: ecos da resistência política. 1. ed. Rio de Janeiro: Kitabu, 2018. v. 1. 480 p.

POLI JUNIOR, Ovidio. A pena e o cadafalso: observações sobre a literatura carcerária relativa ao período do Estado Novo. 2009. Tese (Doutorado em Literatura Brasileira) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009. doi:10.11606/T.8.2009.tde-01122009-112205. Acesso em: 2019-03-18.

RICOEUR, P. A memória, a história, o esquecimento. Campinas, SP: Editora Unicamp, 2007.

SELIGMANN-SILVA, M. Literatura de testemunho: os limites entre a construção e a ficção. Letras, Revista do Mestrado em Letras da UFSM. Santa Maria, RS, UFSM; CAL, n. 16, jan./jul. 1998, pp. 9-37.

SELIGMANN-SILVA, M. (Org.) História, Memória, Literatura. O testemunho na era das catástrofes. Campinas: Editora da UNICAMP, 2003. 555 p.

SELIGMANN-SILVA, M.. Escritas da violência. Vol I. O testemunho, Orgs. Márcio Seligmann-Silva, Jaime Ginzburg, F. Hardman, Rio de Janeiro: 7 Letras, 2012. 289 p.

SILVA, R. da. A eficácia sócio-pedagógica da pena de privação da liberdade. 2001. Tese (Doutorado em Educação). Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo: São Paulo, 2001.

SILVA, R. da. O Direito à Educação de Pessoas em Regimes de Privação da Liberdade. In: Revista de Ciências da Educação. Centro Universitário Salesiano de São Paulo – UNISAL. Programa de Mestrado em Educação. Americana, SP, Ano XII, n. 22. pp. 199- 222, 2010.

SILVA, R. da. Os filhos do Governo: a formação da identidade criminosa em crianças orfãs e abandonadas. São Paulo: Ática, 1997.

SILVA, R. da. Didática no Cárcere: entender a natureza para entender o ser humano e o seu mundo. São Paulo: Giostri, 2017.

SILVA, R. da. Didática no Cárcere II: entender a natureza para entender o ser humano e o seu mundo. São Paulo: Giostri, 2018.

TIN, Emerson. Em busca do "Lobato das cartas": a construção da imagem de Monteiro Lobato diante de seus destinatários. 2007. 547f. Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Estudos da Linguagem, Campinas, SP. Disponível em: . Acesso em: 11 set. 2018.

VAN DER POEL, Maria Salete. Vidas aprisionadas: relatos de um prática educativa. Porto Alegre: Oykos, 2018.

VASQUEZ, E. L. Ciência Penitenciária no Brasil Império: Disciplinar para construir a imagem da nação civilizada. Tese (Doutorado). São Paulo: PUC/SP, 2013.




DOI: https://doi.org/10.5585/eccos.n48.12392

Direitos autorais 2019 EccoS – Revista Científica

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

EccoS – Revista Científica
ISSN da versão online: 1983-9278
ISSN da versão impressa: 1517-1949
www.revistaeccos.org.br