O cenário da educação infantil após a implantação do ensino fundamental de nove anos

Cintia Cristina Escudeiro Biazan, Maria Aparecida Guedes Monção

Resumo


O objetivo do texto é analisar o cenário da educação infantil em um município paulista com vistas a identificar as marcas da implantação do ensino fundamental de nove anos nas instituições que atendem crianças na faixa etária de 4 a 5 anos. Trata-se de pesquisa qualitativa, realizada com professores e gestores da rede pública municipal. A coleta dos dados foi realizada por meio de análise documental e de grupo focal com sujeitos que atuavam na educação infantil nos anos da implantação do ensino fundamental de nove anos e que permaneceram na educação infantil após a mudança. A análise dos dados evidenciou que a educação infantil do município depois da implantação do ensino fundamental de nove anos alterou significativamente o cotidiano das crianças, especialmente no que se refere à diminuição expressiva da presença de jogos e brincadeiras na rotina, configurando um cenário marcado por atividades com foco na alfabetização. A pressão por melhores resultados nas avaliações externas no ensino fundamental direcionaram as práticas cotidianas a considerar a preparação das crianças para a entrada no ensino fundamental, um eixo fundante do trabalho pedagógico.


Palavras-chave


Educação infantil; Ensino fundamental de nove anos; Escolarização; Direito à brincadeira

Texto completo:

PDF

Referências


ARELARO, Lisete Regina Gomes. O ensino fundamental no Brasil: avanços, perplexidades e tendências. Educação e Sociedade, Campinas, v. 26, n. 92, p. 1.039-1.066, out. 2005.

ARELARO, Lisete Regina Gomes; JACOMINI, Márcia Aparecida; KLEIN, Sylvie Bonifácio. O ensino fundamental de nove anos e o direito à educação. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 37, n. 1, p. 35-51, jan./abr. 2011.

AUTOR, 2013.

BARBOSA, Maria Carmem Silveira; CRAIDY, Carmem Maria. Ingresso obrigatório no ensino fundamental aos 6 anos: falsa solução para um falso problema. In: BARBOSA, Maria Carmen Silveira; DELGADO, Ana Cristina Coll (Org.). A infância no ensino fundamental de nove anos. Porto Alegre: Penso, 2012. p. 19-36.

BARBOSA, Maria Carmen Silveira; DELGADO, Ana Cristina Coll (Org.). A infância no ensino fundamental de nove anos. Porto Alegre: Penso, 2012.

BARBOSA, Maria Carmen Silveira; DELGADO, Ana Cristina Coll; TOMÁS, Cristina Almeida. Estudos da infância, estudos da criança: quais campos? Quais teorias? Quais questões? Quais métodos? Inter-Ação, Goiânia, v. 41, n. 1, p. 103-122, jan./abr. 2016.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Promulgada em 5 de outubro de 1988. Brasília, DF, 1988. Disponível em: . Acesso em: 9 abr. 2019.

BRASIL. Lei nº 11.114, de 9 de maio de 2005. Altera os arts. 6º, 30, 32 e 87 da Lei nº. 9.394, de 20 de dezembro de 1996, com o objetivo de tornar obrigatório o início do ensino fundamental aos seis anos de idade. Brasília, DF, 2005. Disponível em: . Acesso em: 13 set. 2015.

BRASIL. Lei nº 11.274, de 6 de fevereiro de 2006. Altera a redação dos arts. 29, 30, 32 e 87 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, dispondo sobre a duração de 9 (nove) anos para o ensino fundamental, com matrícula obrigatória a partir dos 6 (seis) anos de idade. Brasília, DF, 2006. Disponível em: . Acesso em: 13 set. 2015.

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. Câmara de Educação Básica. Resolução CEB/CNE nº 05/09, de 18 de dezembro de 2009. Fixa as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Brasília, DF, 2009. Disponível em: . Acesso em: 8 abr. 2019.

CORRÊA, Bianca Cristina. Considerações sobre qualidade na educação infantil. Educação e Pesquisa, São Paulo, n. 119, p. 85-112, jul. 2003.

CORRÊA, Bianca Cristina. Educação infantil e ensino fundamental: desafios e desencontros na implantação de uma nova política. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 37, n. 1, p. 105-120, jan./abr. 2011.

CORSARO, Willian A. Sociologia da infância. Tradução Lia Gabriele Regius Reis. Porto Alegre: Artmed, 2011.

GATTI, Bernadete Angelina. Grupo focal na pesquisa em Ciências Humanas. Brasília, DF: Liber Livro, 2012.

HADDAD, Lenira. Políticas integradas de educação e cuidado infantil: desafios, armadilhas e possibilidades. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 36, n. 129, p. 519-546, set./dez. 2006.

HADDAD, Lenira. Substituir ou compartilhar? O papel das instituições de educação infantil no contexto da sociedade contemporânea. In: MACHADO, Maria Lúcia de A. (Org.). Encontros e desencontros em educação infantil. São Paulo: Cortez, 2002. p. 91-96.

HADDAD, Lenira. Tensões universais envolvendo a questão do currículo para a educação infantil. In: FRADE, Isabel Cristina Alves da Silva et al. Convergências e tensões no campo da formação e do trabalho docente. Belo Horizonte: Autêntica, 2010. p. 418-437.

KISHIMOTO, Tizuko Morchida. Brinquedos e brincadeiras na educação infantil. In: SEMINÁRIO NACIONAL DO CURRÍCULO EM MOVIMENTO: Perspectivas Atuais, 1., nov. 2010, Belo Horizonte. Anais eletrônicos... Disponíveis em: . Acesso em: 8 abr. 2019.

KISHIMOTO, Tizuko Morchida. A pré-escola em São Paulo (1877 a 1940). São Paulo: Loyola, 1988.

KLEIN, Sylvie Bonifacio. Ensino fundamental de nove anos no município de São Paulo: um estudo de caso. 2011. 233 p. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011. Disponível em: . Acesso em: 8 abr. 2019.

KRAMER, Sônia. As crianças de 0 a 6 anos nas políticas educacionais no Brasil: educação infantil e/é fundamental. Educação e Sociedade, Campinas, v. 27, n. 96 (Especial), p. 797-818, out. 2006.

KRAMER, Sônia. A política do pré-escolar no Brasil: a arte do disfarce. Rio de Janeiro: Dois Pontos, 1987.

KRAMER; Sônia; NUNES, Maria Fernanda R.; CORSINO, Patrícia. Infância e crianças de 6 anos: desafios das transições na educação infantil e no ensino fundamental. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 37, n. 1, p. 69-85, jan./abr. 2011.

MOSS, Peter. Qual o futuro da relação entre educação infantil e ensino obrigatório? Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 41, n. 142, p. 142-159, abr. 2011.

SARMENTO, Manuel Jacinto; PINTO, Manuel. As culturas da infância nas encruzilhadas da 2ª modernidade. In: SARMENTO, Manuel Jacinto; CERISARA, Ana Beatriz. Crianças e miúdos: perspectivas sociopedagógicas da infância e educação. Porto: ASA, 2004. p. 1-22.




DOI: https://doi.org/10.5585/eccos.n52.13537

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 EccoS – Revista Científica

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

EccoS – Revista Científica

e-ISSN: 1983-9278
ISSN: 1517-1949
www.revistaeccos.org.br

EccoS – Revista Científica ©2020 Todos os direitos reservados.