A avaliação da Pós-graduação e a sua relação com a produção científica: dilemas entre a qualidade e a quantidade

Altair Alberto Fávero, Evandro Consaltér, Carina Tonieto

Resumo


O presente texto é fruto de uma pesquisa de cunho qualitativo e desenvolve-se a partir da triangulação de fontes bibliográficas e documentais. O método analítico é utilizado para estabelecer o olhar crítico e reflexivo sobre os dados apurados. O objetivo é responder ao seguinte questionamento: Como a avaliação da pós-graduação é influenciada e impactada por processos e indicadores externos à universidade? O texto está estruturado em três seções. Na primeira, discutimos como o produtivismo acadêmico tem impactado a gestão e a organização interna dos programas de pós-graduação. Na segunda seção, procuramos identificar como essa lógica produtivista tem fomentado o mercado das chamadas “revistas predatórias”, que se aproveitam dessa necessidade de publicação dos pesquisadores para lucrar e estabelecer um “mercado de publicações”. Por fim, discutimos a necessidade de um equilíbrio entre qualidade e quantidade com a finalidade de pensar e reforçar a relevância social da pesquisa e a consolidação de políticas de avaliação da pós-graduação que possam garantir essa equidade necessária ao pleno exercício dos pesquisadores. Concluímos que avaliar é um passo importante para o aprimoramento da pós-graduação, no entanto, submetida aos ditames do gerencialismo, produtividade e performatividade produz efeitos nefastos à pesquisa, aos professores/pesquisadores e aos processos formativos.


Palavras-chave


Avaliação. Pós-graduação. Qualidade. Produtividade.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, J.S.; CASSUNDÉ, F. R. S. A.; BARBOSA, M. A. C. Da liberdade à “gaiola de cristal”: sobre o produtivismo acadêmico na pós-graduação. Perspectivas em Gestão & Conhecimento, v. 9, n. 1, p. 169-197, jan./abr. 2019. Disponível em: . Acesso em: 01 mai. 2019.

BACHELARD, G. O racionalismo aplicado. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1977.

BACHELARD, G. A filosofia do não: filosofia do novo espírito científico. São Paulo: Abril Cultural, 1979.

BACHELARD, G. A formação do espírito científico: contribuições para uma psicanálise do conhecimento. Rio de Janeiro: Contraponto, 1996.

BEALL, J. Predatory publishing is just one of the consequences of gold open access. Learned Publishing, v. 26, n. 2, p. 79-84, 2013.

BIANCHETTI, L.; ZUIN, A.A.S.; FERRAZ, O. Publique, apareça ou pereça: produtivismo acadêmico, “pesquisa administrada” e plágio nos tempos da cultura digital. Salvador: EDUFBA, 2018.

BAINCHETTI, L.; VALLE, I.R.; PEREIRA, G.M. O fim dos intelectuais acadêmicos? Induções da Capes, desafios às associações cientificas e a emergência do intelectual institucionalizado. Campinas: Autores Associados, 2015.

BIANCHETTI, L.; MACHADO, A. M. N. “Reféns da produtividade” sobre produção do conhecimento, saúde dos pesquisadores e intensificação do trabalho na pós-graduação. XXX Reunião Anual da ANPEd, 2007. Disponível em: . Acesso em: 2 mai. 2019.

GUIMARÃES, I. P. Um estudo das elites acadêmicas no campo da política educacional no Brasil. Praxis Educativa, Ponta Grossa, v. 14, n. 1, p. 273-296, jan./abr. 2019. Disponível em: < https://www.revistas2.uepg.br/index.php/praxiseducativa/article/view/12459>. Acesso em: 10 mai. 2019.

LAVAL, C. A escola não é uma empresa: o neo-liberalimsmo em ataque ao ensino público. Londrina: Planta, 2004.

MACHADO, A.M.; GROSCH, M.S.; SANTOS V. Regulação e controle na pós-graduação: do produtivismo acadêmico à noção de excelência com pertinência territorial. Conjectura: Filosofia e Educação, v. 22, n. 1, p. 52-68, jan./abr. 2017. Disponível em: . Acesso em: 10 mai. 2019.

MOREIRA, A. F. A cultura da performatividade e a avaliação da Pós-Graduação em Educação no Brasil. Educação em Revista, v. 25, n. 3, p. 23-42, dez. 2009. Disponível em: . Acesso em: 02 mai. 2019.

OLIVEIRA, R. L. Órfãos de Jeffrey Beall: revistas predatórias e outras iniciativas igualmente perniciosas para a pesquisa. Ciência e Cultura, Campinas, v. 69, n. 4, p. 4-5, oct./dec. 2017. Disponível em: < http://cienciaecultura.bvs.br/pdf/cic/v69n4/v69n4a02.pdf>. Acesso em: 30 abr. 2019.

OLIVEIRA, J. F. de; FONSECA, M. A pós-graduação e o seu sistema de avaliação. In: OLIVEIRA, J. F. de; CATANI, A. M.; FERREIRA, N. S. C. (orgs.). Pós-graduação e avaliação: impactos e perspectivas no Brasil e no cenário internacional. Campinas: Mercado de Letras, 2010, p.15-51.

SUETH, R.; PAULA, M. F. C. Efeitos das políticas de avaliação sobre o trabalho acadêmico na pós-graduação stricto sensu. Revista Argentina de Educación Superior/RAES, n. 17, p. 12-26, ag./nov. 2018. Disponível em: . Acesso em: 30 abr. 2019

TREIN, E.; RODRIGUES, J. O mal-estar na academia: produtivismo científico, o fetichismo do conhecimento mercadoria. Revista Brasileira de Educação, v. 16, n. 48, set./dez. 2011. Disponível em:. Acesso em: 30 abr. 2019.

WATERS, L. Inimigos da esperança: publicar, perecer e o eclipse da erudição. São Paulo: Unesp, 2006.

ZUIN, A. A. S.; BIANCHETTI, L. O produtivismo na era do “publique, apareça ou pereça”: um equilíbrio difícil e necessário. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 45, n. 158, p. 726-750 out./dez. 2015. Disponível em: < http://publicacoes.fcc.org.br/ojs/index.php/cp/article/view/3294>. Acesso em: 30 abr. 2019.




DOI: https://doi.org/10.5585/eccos.n51.14508

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 EccoS – Revista Científica

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

EccoS – Revista Científica

e-ISSN: 1983-9278
ISSN: 1517-1949
www.revistaeccos.org.br

EccoS – Revista Científica ©2020 Todos os direitos reservados.