Qualidade da educação superior no Brasil: desempenho das universidades católicas à luz dos rankings acadêmicos, índices e tabelas classificatórias estatais e do setor privado

Marco Wandercil, Adolfo-Ignacio Calderón, Francisco Aníbal Ganga-Contreras

Resumo


A qualidade educação superior é um conceito dinâmico que tem que se adaptar a um mundo em constantes mudanças. Este artigo tem como objetivo analisar as universidades católicas brasileiras com o intuito de estudar suas tendências em termos de qualidade institucional, a partir da sua performance em rankings acadêmicos, índices e listas classificatórias (Rankintacs) nacionais em níveis estatal e privado. Para alcançar o objetivo deste estudo, realizou-se pesquisa bibliográfica-documental incluindo análise de indicadores de desempenho nos Rankintacs nacionais, incluindo análise qualitativa e quantitativas por meio de critérios estatísticos. Atualmente, o Brasil conta com 19 universidades confessionais católicas e seus desempenhos foram abordados a partir dos Rankings nacionais, elaborados pelo órgão regulador estatal (MEC/INEP) e os promovidos pelo setor privado, Ranking Universitário Folha (RUF) e Guia do Estudante. Embora tradicionalmente as universidades católicas sejam identificadas como instituições de elevada qualidade, ocupando lugares de destaque entre as melhores universidades do país, muitas delas a frente de grandes universidades públicas, os Rankintacs revelam, em termos de qualidade, grande diversidade e heterogeneidade, existindo renomadas universidades católicas com resultados não tão favoráveis, identificadas com fraco desempenho.


Palavras-chave


Ranking Acadêmicos. Qualidade da Educação. Universidades Católicas.

Texto completo:

PDF

Referências


ALTBACH, Philip G.; HAZELKORN, Ellen. Por que os rankings falham ao medir a qualidade da educação. Desafios da Educação. 2018. Disponível em: https://desafiosdaeducacao.com.br/qualidade-educac%CC%A7a%CC%83o-rankings-globais/. Acesso em: 26/07/2019

ARDUINI, Guilherme Ramalho. A Igreja Católica e suas instituições de Ensino Superior. Pro-Posições. V. 28, N. 3 (84), Set/Dez. 2017. http://dx.doi.org/10.1590/1980-6248-2016-0107

BRASIL, MEC – MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO (e-MEC) (2018). Instituições de Educação Superior e Cursos Cadastrados. Disponível em: http://emec.mec.gov.br/. Acesso em: 05/11/2018.

CALDERON, Adolfo Ignacio. Universidades mercantis: a institucionalização do mercado universitário em questão. São Paulo Perspectiva, São Paulo, v. 14, n. 1, p. 61-72, Mar. 2000. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-88392000000100007.

CALDERÓN, Adolfo Ignácio, Professor pesquisador da PUC-Campinas passa a integrar o quadro de avaliadores da Área de Educação CAPES. Entrevista concedida ao Jornal da PUC-Campinas, Edição 191 – Ano 2019. Disponível em: http://jornal.puc-campinas.edu.br/professor-pesquisador-da-puc-campinas-passa-a-integrar-o-quadro-de-avaliadores-da-area-de-educacao-capes/. Acesso em: 25/07/2019

CALDERON, Adolfo Ignácio; POLTRONIERI, Heloisa; BORGES, Regilson Maciel. Os rankings na educação superior brasileira: políticas de governo ou de Estado? Ensaio: aval. pol. públ. Educ., Rio de Janeiro, v. 19, n. 73, p. 813-826, out./dez. 2011.

DEMING, William Edwards. Qualidade: a revolução da administração. Rio de janeiro: Marques Saraiva, 1990

DEMO, Pedro. Educação e Qualidade. Campinas: Papirus, 1994.

FEIJOO, AMLC. 6. Medidas separatrizes. In: A pesquisa e a estatística na psicologia e na educação [online]. Rio de Janeiro: Centro Edelstein de Pesquisas Sociais, 2010

FERNANDES, Fernando José Anjos Silva Vaz. Representação das Universidades Portuguesas através dos Rankings Universitários Internacionais (ARWU, QS e THE): validade, representação e posicionamento. 2015. Dissertação (Mestrado Informação, Comunicação e Novos Media). Universidade de Coimbra.

GANGA-CONTRERAS, Francisco Aníbal; SAN MARTÍN, Walter Sáez; RODRÍGUEZ-PONCE, Emilio; CALDERÓN, Adolfo-Ignacio; WANDERCIL, Marco. Universidades Públicas de Chile y su Desempeño en los Rankings Académicos Nacionales. Fronteiras: Journal of Social, Technological and Environmental Science. v. 7, n. 3, set.-dez. 2018, p. 316-341. DOI http://dx.doi.org/10.21664/2238-8869.2018v7i3.p316-341

GENTILI, Pablo. O discurso da qualidade como nova retórica conservadora no campo educacional. In GENTILI, Pablo e SILVA, Tomaz Tadeu (orgs.). Neoliberalismo, qualidade total e educação: visões críticas. 3ª ed; Petrópolis: Vozes, 1995

GUIA DO ESTUDANTE PROFISSÕES VESTIBULAR 2015. Saiba como encontrar o Curso Superior ideal para você. São Paulo: Editora Abril. 2014.

GUIA DO ESTUDANTE PROFISSÕES VESTIBULAR 2016. Encontre o Curso Superior que mais combina com você. São Paulo: Editora Abril. 2015.

GUIA DO ESTUDANTE PROFISSÕES VESTIBULAR 2017. Opções de Cursos Superiores para você escolher. São Paulo: Editora Abril. 2016.

GUIA DO ESTUDANTE PROFISSÕES VESTIBULAR 2018. Opções de Carreira para você escolher. São Paulo: Editora Abril. 2017.

GUIA DO ESTUDANTE PROFISSÕES VESTIBULAR 2019. Opções de Carreira para você escolher. São Paulo: Editora Abril. 2018.

INEP – INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA (2017a). Censo da Educação Superior 2017: Principais Resultados. Disponível em: . Acesso em: 22/02/2019.

INEP – INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA. Índice Geral de Cursos (IGC). Disponível em: http://inep.gov.br/indice-geral-de-cursos-igc-. (Página atualizada em: 20 outubro de 2015). Acesso em: 05/01/2019.

IREG (International Ranking Expert Group). Princípios de Berlin para Rankings de Instituições de Educação Superior. Berlin, 20 de maio de 2006. Disponível em: http://ireg-observatory.org/en/berlin-principles-portuguese. Acesso em: 24/07/2019

ISHIKAWA, Karou. Controle de qualidade total: à maneira japonesa. Rio de Janeiro: Campus, 1993

LEVA, José Ulisses. PUC SP – Identidade Católica da Universidade. Revista Eletrônica Espaço Teológico ISSN 2177-952X. Vol. 10, n. 17, jan/jun, 2016, p. 07-16.

LOURENÇO, Henrique da Silva. Os rankings do guia do estudante na educação superior brasileira: um estudo sobre as estratégias de divulgação adotadas pelas instituições que obtiveram o prêmio melhores universidades. 2014. 205f. Dissertação de Mestrado – Gestão e Políticas Públicas em Educação, Pontifícia Universidade Católica de Campinas, Campinas, 2014.

MARTINS, Carlos Benedito. Privatização: A Política do Estado Autoritário para o Ensino Superior. In: Cadernos CEDES. Campinas: Papirus, (5), 1987, pp: 43-61.

MEC, MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO (Brasil). Bases para uma Nova Proposta de Avaliação da Educação Superior. 2003. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/sinaes.pdf. Acesso em: 25/05/2019.

ORDORIKA, I.; RODRIGUEZ GOMEZ, R. El ranking Times en el mercado del prestigio universitario. Perfiles Educativos, Distrito Federal, México, v. 32, n. 129, janeiro, 2010.

RIGHETTI, S. Qual é a melhor? Origem, indicadores, limitações e impactos dos rankings universitários. 2016. Tese (Doutorado em Política Científica e Tecnológica) - Universidade Estadual de Campinas.

RUF. Ranking Universitário Folha. Ranking de Universidades. 2018. Disponível em http://ruf.folha.uol.com.br/2018/. Acesso em: 22/10/2018.

SANTANA, Flávia Feitosa. A dinâmica da aplicação do termo qualidade na educação superior brasileira. São Paulo: Editora Senac São Paulo, 2007

SANTOS, Solange Maria dos; NORONHA, Daisy Pires.O desempenho das universidades brasileiras em rankings internacionais. Em Questão, Porto Alegre, v. 22, n. 2, p. 186-219, mai/ago. 2016. DOI: 10.19132/1808-5245222.186-219

UNESCO, 2001. “Los países de América Latina y el Caribe adoptan la declaración de Cochabamba sobre educación”. In: Anais da Oficina de información Pública para América Latina y Caribe. Disponível em: http:www.iesalc.org. Acesso em: 04/2019

WEST, Josie; MATTIS, George; PHILIPPOU, Georgia. Demystifying the Rankings: A Guide for Universities. Disponível em: http://info.qs.com/rs/335-VIN-535/images/Demstyifying%20the%20Rankings%20White%20Paper.pdf. Acesso: 24/05/2019.




DOI: https://doi.org/10.5585/eccos.n51.14581

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 EccoS – Revista Científica

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

EccoS – Revista Científica

e-ISSN: 1983-9278
ISSN: 1517-1949
www.revistaeccos.org.br

EccoS – Revista Científica ©2020 Todos os direitos reservados.