Campanha Nacional Contra a Alca: educação popular, participação e política externa

Suylan de Almeida Midlej e Silva

Resumo


Este artigo discute como a Campanha Nacional contra a Área de Livre Comércio das Américas (Alca), movimento social formado a partir de dezenas de entidades, utiliza a educação popular como uma estratégia para influenciar na formulação da política externa brasileira. Depois de debater o tema com a sociedade utilizando vasto material de formação, a Campanha organizou um plebiscito popular em setembro de 2002 e obteve mais de 10 milhões de votos. O resultado desse agir político, na visão da Campanha, teria não somente influenciado o posicionamento brasileiro no processo negociador, mas provocado o fortalecimento do movimento social brasileiro e latino-americano. Este trabalho é resultado de uma tese de doutorado cuja pesquisa empírica envolveu 72 entrevistados. Palavras-chave: Movimento social. Educação popular. Política externa. Alca

Palavras-chave


Ciências Humanas; Educação Popular; Política

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/eccos.v12i1.1540

Direitos autorais



EccoS – Revista Científica
ISSN da versão online: 1983-9278
ISSN da versão impressa: 1517-1949
www.revistaeccos.org.br