A atuação do pedagogo no MST: revelações de um estudo exploratório

Georgia Sobreira dos Santos Cêa, Camila Ferreira da Silva, Samara Santos Marques de Gusmão, Thayanne Araújo Silva

Resumo


Em 2006, os cursos de graduação em Pedagogia foram definidos como uma licenciatura que deve prever a formação do pedagogo para atuação em espaços escolares e não escolares, incluindo os movimentos sociais. Este artigo objetiva apresentar uma experiência curricular, denominada “Projetos Integradores”, que tomou como objeto a atuação desse profissional no Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) e envolveu docentes e discentes do 2° período do curso de Pedagogia da Universidade Federal de Alagoas (UFAL). Neste artigo, reflete-se sobre a importância do tratamento das relações entre movimentos sociais e educação na formação de pedagogos, apresenta-se o percurso metodológico do estudo realizado e expõem-se significativas aprendizagens por ele proporcionadas, com destaque para a compreensão das relações entre a luta pela terra e a educação, enfatizando as ações realizadas por um pedagogo no MST.

Palavras-chave


Atuação do pedagogo. Educação e movimentos sociais. Educação e MST.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/eccos.v11i1.1545

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais



EccoS – Revista Científica
ISSN da versão online: 1983-9278
ISSN da versão impressa: 1517-1949
www.revistaeccos.org.br