Ciclos de progressão continuada: vermelho para as políticas públicas

Luis Carlos de Freitas

Resumo


O texto discute a lógica da forma escola, da avaliação e dos ciclos. Chama a atenção para os processos informais de avaliação que ocorrem em sala de aula e determinam mais fortemente os próprios processos de avaliação formais (provas, testes). Sintetiza aspectos das concepções de educação e políticas públicas que afetam a noção de ciclo e sua implantação, procurando apontar para formas de lidar com a avaliação e os ciclos que conduzam à preservação da subjetividade dos alunos e do coletivo das escolas, retirando, tanto em um nível quanto em outro, a ênfase no controle e na punição (p. ex.: processo que atribui cor vermelha para as escolas ‘menos eficazes’). Já aceitamos não punir o aluno na avaliação; falta agora aprendermos a ser construtivos com as instituições e seus atores.

Palavras-chave


ciclos; avaliação informal; políticas públicas; concepção de educação; melhoria.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/eccos.v4i1.294

Direitos autorais



EccoS – Revista Científica
ISSN da versão online: 1983-9278
ISSN da versão impressa: 1517-1949
www.revistaeccos.org.br