Experiência estética como experiência formativa a partir da ontologia de Hans-Georg Gadamer

Clenio Lago

Resumo


Este artigo aborda a articulação entre experiência estética e formação a partir a partir da ontologia de Hans-Georg Gadamer, considerando a experiência estética no encontro do homem com a obra de arte e no encontro entre os homens. As argumentações foram tecidas no horizonte da Hermenêutica Filosófica, percurso que possibilitou maior compreensão do processo formativo, na media em que demonstra que, quem faz a experiência da arte, coloca-se em jogo, é desafiado a ser outro, porque a obra de arte como ser-aí, a seu modo, diz algo a cada um. Assim, a experiência da arte, marcada por uma pluralidade de experiências, constitui-se em importantes momentos autoformativos, na medida em que pode gerar tanto abertura como coroamento de processos, demarcando identidades, sem cair no monismo metodológico e nem no puro relativismo. E isso pode ser percebido tanto na experiência do homem com a obra de arte quanto na experiência entre os homens, diferentes modos de ser. Dessa forma, ao conceber a experiência estética como experiência ontológica, Gadamer não só reconfigurou o pensamento filosófico, conferindo novo lugar à estética, como conferiu atualidade à Bildung em meio aos desafios da ruptura da metafísica. Portanto, sua proposta constitui-se em uma resposta plausível aos desafios contemporâneos, especificamente, à formação marcada pelo empobrecimento da experiência.

Palavras-chave


Experiência; Estética; Formação; Gadamer.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/eccos.n28.3596

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais



EccoS – Revista Científica
ISSN da versão online: 1983-9278
ISSN da versão impressa: 1517-1949
www.revistaeccos.org.br