Políticas de formação inicial de professores, tecnologias e a construção social do tempo

Lucila Pesce

Resumo


Das atuais políticas brasileiras de formação inicial de professores da Educação Básica, o artigo põe atenção nos documentos legais que refletem sobre o uso pedagógico das Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC), percebendo-os no contexto em que se inserem: a reforma educacional brasileira iniciada nos anos de 1990. É analisada a relação entre a formação docente para o uso pedagógico das TIC e a construção social do tempo. A análise relaciona, de um lado, a racionalidade instrumental com a hegemonia da concepção cronológica do tempo, o que corrobora com a coisificação do homem. De outro, o imbricar entre a racionalidade comunicativa e a atenção à concepção kairológica do tempo, em face da fecundidade de ambas para a educação voltada à emancipação humana. A partir dessa premissa teórica, o artigo considera sobre possíveis encaminhamentos, na área de formação afeita ao uso pedagógico das TIC.

Palavras-chave


políticas de formação de professores; educação e tecnologias; construção social do tempo; racionalidade instrumental; racionalidade comunicativa.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/eccos.n33.3598

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais



EccoS – Revista Científica
ISSN da versão online: 1983-9278
ISSN da versão impressa: 1517-1949
www.revistaeccos.org.br