Educação musical e uma nova hierarquia de valores no contexto da pós-modernidade

Ednardo Monteiro Gonzaga do Monti

Resumo


São propostas no presente artigo algumas reflexões sobre o ensino de música no contexto da educação brasileira. Focalizam-se contrastes da pós-modernidade com o período conhecido como Era Vargas, um tempo fortemente caracterizado pela ideologia nacionalista. O estudo fundamenta-se na Teoria dos Valores ancorada nas idéias de Scheler (1955), Reale (1996), Goergen (2005) e Werneck (1996; 2003). Também são utilizados os pensamentos de Hall (2003) e Bauman (2001; 2005; 2007) sobre a identidade cultural na pós-modernidade e o conceito de comunidades imaginadas de Anderson (1989; 2005). Segue, então, uma análise de abordagem qualitativa de entrevistas semi-estruturadas, realizadas com seis professores de música formados pelo Conservatório Nacional de Canto Orfeônico, principal instituição brasileira de formação de docentes de música para o ensino regular escolar na primeira metade do século passado. Nas entrevistas foram detectados reflexos de valores cultivados pela ideologia nacionalista, numa análise da hierarquia de valores do passado em contraste com os contextos pós-modernos.

Palavras-chave


Educação Musical, Teoria dos Valores, Era Vargas e Pós-modernidade.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/eccos.n34.3618

Direitos autorais



Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

EccoS – Revista Científica
ISSN da versão online: 1983-9278
ISSN da versão impressa: 1517-1949
www.revistaeccos.org.br