A autonomia do educando na pedagogia de Dewey

Armando Lourenço Filho, Samuel Mendonça

Resumo


Nosso trabalho busca compreender como era pensada a questão da autonomia do educando na pedagogia de John Dewey. Dewey defendia a importância da educação enquanto um processo dotado de finalidade em si mesmo, relacionado à vida do educando, admitindo como forças propulsoras o interesse pessoal e o conhecimento prévio das crianças. A base da pedagogia de Dewey consiste em uma educação prática, baseada na aprendizagem pela experiência, permitindo que o educando construa e reconstrua o conhecimento partindo de situações concretas. Como conclusão, percebemos que a autonomia do educando orienta-se à vida prática, por isso, a insistência do filósofo para que a escola seja compreendida como a própria vida da criança, por isso sua proposta de educação por meio da experiência e da ação, aos moldes da vida que normalmente ocorre extramuros

Palavras-chave


Dewey. Autonomia discente. Filosofia da educação. Pedagogia nova.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/eccos.n33.4275

Direitos autorais



Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

EccoS – Revista Científica
ISSN da versão online: 1983-9278
ISSN da versão impressa: 1517-1949
www.revistaeccos.org.br