Os movimentos estudantis na História da Educação e a luta pela democratização da universidade brasileira

Marisa Bittar, Mariluce Bittar

Resumo


Embora o campo da pesquisa em História da Educação venha se fortalecendo continuamente nas últimas décadas e diversificando seus temas e fontes, o movimento estudantil, liderado pela juventude brasileira, ainda é pouco considerado como objeto de estudo. Assim, com este artigo, pretendemos contribuir para o conhecimento de um aspecto que no passado despertou mais interesse. Na primeira parte, o artigo aborda as características da universidade desde sua criação até a crise dos anos 1960, quando explodiram as revoltas estudantis que exigiram reformas na sua estrutura. Na segunda, examina a contribuição dos movimentos estudantis brasileiros no século XX para a democratização da universidade brasileira relacionando-os aos momentos de luta pela própria democracia no País. O artigo baseou-se em fontes bibliográficas sobre o tema bem como em documentos da União Nacional dos Estudantes (UNE) e da União Brasileira de Estudantes Secundaristas (UBES).

Palavras-chave


Universidade Brasileira; História da Educação; Movimentos Estudantis; Juventude

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/eccos.n34.4346

Direitos autorais



EccoS – Revista Científica
ISSN da versão online: 1983-9278
ISSN da versão impressa: 1517-1949
www.revistaeccos.org.br