Banco Mundial, políticas públicas e atendimento educacional à primeira infância no Brasil

Beatriz Aparecida da Costa

Resumo


O presente artigo tem como base um estudo sobre as condições de atendimento do Programa Pró-Creche, que se apresenta como uma parceria entre o poder público e instituições particulares para o atendimento de alunos de 0 a 3 anos que não encontram vaga na rede municipal de ensino. A pesquisa utiliza-se da abordagem qualitativa e da metodologia de estudo de caso. O intuito deste artigo é elaborar reflexões acerca das possíveis influências do Banco Mundial nas políticas públicas brasileiras de financiamento e de atendimento educacional à primeira infância, analisando como o Programa Pró-Creche segue as indicações desse organismo. Consideramos que, ao influenciarem as políticas públicas brasileiras, as recomendações do Banco Mundial levaram à desvalorização e privatização da Educação Infantil.

Palavras-chave


Banco Mundial; Financiamento Educacional; Educação Infantil; Parceria público-privado.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/eccos.n35.4652

Direitos autorais



EccoS – Revista Científica
ISSN da versão online: 1983-9278
ISSN da versão impressa: 1517-1949
www.revistaeccos.org.br