Criticidade e educação filosófica: a formação humana pelo diálogo e problematização

Darcísio Natal Muraro

Resumo


O presente trabalho tem por objetivo analisar a concepção de criticidade de Paulo Freire destacando o papel formador do diálogo e da problematização. A metodologia baseia-se na pesquisa bibliográfica centrada na análise do conceito de criticidade, diálogo e problematização. Destacamos como resultado a compreensão da criticidade como inacabamento do ser humano, capacidade de problematização, práxis dialógica e democrática que conscientiza, liberta, humaniza as pessoas e transforma o mundo. Os principais aspectos da criticidade analisados são os relacionados à epistemologia, ética, política e educacional. Estes aspectos da criticidade são essenciais para uma educação filosófica centrada em temas geradores da experiência existencial que contribua para a pronúncia significativa e transformadora da palavra.

Palavras-chave


Formação filosófica. Criticidade. Paulo Freire.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/eccos.n38.6032

Direitos autorais



Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

EccoS – Revista Científica
ISSN da versão online: 1983-9278
ISSN da versão impressa: 1517-1949
www.revistaeccos.org.br