A formação do pedagogo na educação a distância: alguns dilemas e possibilidades

Adriana Regina de Jesus Santos, José Alexandre Gonçalves, Rogério da Costa

Resumo


 O referido artigo tem como objetivos compreender o perfil da formação do pedagogo e conhecer as diferenças de intencionalidade em relação a “Objetivos” e “ Perfil de Egresso” que os programas pretendem formar, tendo como parâmetro dois cursos de Pedagogia, ofertados na modalidade de EaD, por uma instituição pública e outra privada, localizados na cidade de Telêmaco Borba, PR, bem como analisar as percepções dos acadêmicos em relação a sua formação no que tange ao compromisso ético-profissional. Como procedimentos metodológicos adotamos a revisão de literatura, levantamento documental e trabalho de campo. Na revisão de literatura, tivemos como suporte teórico alguns autores, tais como:  Freire (1983), Giroux (1992), Lessa (2012), Lukács (2013), Nóvoa (1992), Pimenta (1999), Saviani (2005), entre outros; na pesquisa documental analisamos dois projetos pedagógicos dos referidos cursos e como trabalho de campo aplicamos um questionário para coleta de dados junto aos estudantes das duas instituições. Ao término do estudo, constatou-se certa ambiguidade no que se refere à formação do perfil do pedagogo que se almeja formar, dado que na faculdade particular o foco estava voltado à empregabilidade desse profissional no mercado de trabalho e na instituição pública percebeu-se a preocupação com a formação ontológica, ética e política do futuro profissional pedagogo. 



Palavras-chave


Educação a Distância. Empregabilidade. Ontologia. Pedagogo.

Texto completo:

PDF

Referências


ANHANGUERA. Pedagogia – Licenciatura. Belo Horizonte: Kroton, 2016. Disponível em: . Acesso em: 19 maio 2016.

ALCÂNTARA, Norma. Lukács: ideologia e alienação. São Paulo: Instituto Lukács, 2014.

CODO, Wanderley. O que é alienação. São Paulo: Brasiliense, 1985.

FREIRE, Paulo. Educação e mudança. 7. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1983.

______. Pedagogia da autonomia: saberes necessários a pratica educativa. 31. ed. São Paulo: Paz e Terra. 2005.

GIROUX, Henry. Escola crítica e política cultural. 3. ed. São Paulo: Cortez, 1992.

LESSA, Sergio. Para compreender a ontologia de Lukács. 3. ed. Ijuí: Unijuí, 2012.

LUKÁCS, György. Para uma ontologia do ser social. v. 2. Tradução Nélio Schneider, Ivo Tonet, Ronaldo Vielmi Fortes. São Paulo: Boitempo, 2013.

NÓVOA, António. Formação de professores e profissão docente. In: ______. (Coord.). Os professores e a sua formação. Lisboa: Dom Quixote, 1992. p. 13-33.

PIMENTA, Selma Garrido. Formação de professores: identidade e saberes da docência. In:

______. (Org.). Saberes pedagógicos e atividade docente. São Paulo: Cortez, 1999. p. 15-34.

SAVIANI, Dermeval. Pedagogia histórico-crítica. 9. ed. Campinas: Autores Associados, 2005.

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA (UEPG). Licenciatura em Pedagogia – UAB. Perfil do Curso. Ponta Grossa: UEPG, 2016. Disponível em: . Acesso em: 19 maio 2016.




DOI: https://doi.org/10.5585/eccos.n47.7693

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 EccoS – Revista Científica



EccoS – Revista Científica 

ISSN da versão online: 1983-9278
ISSN da versão impressa: 1517-1949
www.revistaeccos.org.br

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.