Visões de futuro em Freire e Dewey: perspectivas interculturais das matrizes (pós)coloniais das Américas

Maria Manuela Duarte Guilherme

Resumo


Este artigo oferece uma análise comparada das visões de futuro que representam legados fundamentais nas obras de John Dewey e Paulo Freire, tendo em conta os diversos contextos culturais e epistemológicos que constituíram os cenários intelectuais e as bagagens socio-históricas das obras desses autores. As suas visões de futuro são aqui abordadas numa perspetiva intercultural, no enquadramento de duas matrizes (pós)coloniais diferentes incorporadas pelas Américas do Norte e do Sul. Este artigo tenta desvendar os substratos históricos, políticos e sociais que alteram a forma e a essência da retórica e da ideologia que presidem a esses dois marcos conceptuais e académicos de referência no campo da educação e da pedagogia no século XX. Finalmente, procura dar ênfase aos valiosos legados teórico-práticos desses dois filósofos-educadores para a ideia de futuro nas políticas de educação e nas práticas pedagógicas dos sistemas educativos das sociedades cosmopolitas do século XXI. 


Palavras-chave


Freire, Dewey, Educação. Interculturalidade. Visões de futuro

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/eccos.n44.7708

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais



EccoS – Revista Científica
ISSN da versão online: 1983-9278
ISSN da versão impressa: 1517-1949
www.revistaeccos.org.br