A Política de Institucionalização de Polos de Apoio Presencial da Universidade Aberta do Brasil

Tânia Barbosa Martins

Resumo


O artigo trata da política de institucionalização de polos de apoio presencial do sistema Universidade Aberta do Brasil. Apresenta-se os significados administrativos, pedagógicos e organizacionais atribuídos à institucionalização dos polos com a finalidade de expansão e interiorização do ensino superior e uma discussão sobre o conceito de “institucionalização”, considerando as políticas públicas de Educação a Distância e o Sistema Universidade Aberta do Brasil. O percurso metodológico se fundamenta na pesquisa qualitativa, com discussão da literatura, complementada por entrevistas com coordenadores de polos. Conclui-se que há uma noção restritiva do conceito de Institucionalização, atrelada a aspectos pedagógicos, administrativos e organizacionais da modalidade de ensino a distância, que desconsidera ou menospreza, as próprias políticas públicas e educacionais. O consórcio que institui os polos, oriundos de uma concepção que flexibiliza uma organização, patrocina sua própria (des) institucionalização.                                                                                                                                                     


Palavras-chave


Educação a Distância. Polos de Apoio Presencial. Institucionalização de Polos. Expansão do Ensino Superior.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/eccos.n45.7887

Direitos autorais



EccoS – Revista Científica
ISSN da versão online: 1983-9278
ISSN da versão impressa: 1517-1949
www.revistaeccos.org.br