O trabalho docente no magistério superior em tempos de crise e de reconfiguração

Suelaynne Lima da Paz, João Ferreira de Oliveira

Resumo


O trabalho analisa os processos de intensificação e de precarização do trabalho docente que vem se concretizando no campo universitário, tendo a Universidade Federal Goiás (UFG) como objeto de estudo. Objetiva-se discutir os embates do trabalho docente frente ás políticas públicas de educação superior a partir de 1990, especificamente as políticas de expansão e de regulação do trabalho docente no magistério superior. Foram realizadas pesquisas bibliográfica, documental e empírica, sendo esta última efetivada por meio de entrevistas com gestores acadêmicos e pesquisadores de programas de pós-graduação stricto sensu de diferentes áreas de conhecimento da UFG. A pesquisa evidencia, dentre outros aspectos, que os processos de flexibilização, intensificação e precarização estão presentes na produção do trabalho acadêmico da instituição, corroborando certo alinhamento às demandas econômico-produtivas. O fato inexorável é que estão ocorrendo alterações na natureza e no caráter do trabalho docente, decorrentes, em grande parte, de demandas externas, o que tem ampliado a heteronomia na produção, organização, gestão e finalidades da universidade.

Palavras-chave


Magistério Superior. Políticas de Educação Superior. Trabalho Docente.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/eccos.n46.7894

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018



EccoS – Revista Científica

e-ISSN: 1983-9278
ISSN: 1517-1949
www.revistaeccos.org.br

EccoS – Revista Científica ©2020 Todos os direitos reservados.